Virtual ou praticamente derrubado, eis o dilema

De: Miguel Patrício
Enviado: 29 de outubro de 2015 21:52
Para: alexandrepais
Assunto: virtualmente e praticamente: erro numa coluna na Sábado

Na edição de hoje, 29 de Outubro, na Sábado, escreveu: “Com o novo Governo de Passos Coelho virtualmente derrubado […]”.

Gostava só de deixar um pequeno reparo, de pormenor.  Na verdade, o que pretenderia escrever era “praticamente derrubado” e não “virtualmente derrubado”, que não faz sentido.

Virtualmente quer dizer de modo virtual. A origem do equívoco, creio, vem da palavra inglesa “virtually”, que se traduz para português como “praticamente”.

Deixo a correcção, que se fosse eu apreciaria ser corrigido (digo-o com a melhor das intenções). Um abraço de um leitor,
Miguel Patrício

 

Nota da QdoC

Caro leitor

Fico muito grato pelo seu reparo e não teria a mínima hesitação em assumir e reparar – no texto online – o que considera ser um erro, se concordasse com as razões que expôs.

Se o texto em referência fosse escrito hoje, optaria, talvez (porque há outras), pela expressão que o leitor defende, “praticamente derrubado”.

Acontece que no dia da publicação, quinta-feira, ainda não havia governo empossado, e na última segunda, dia da escrita, o novo governo não tinha sequer forma conhecida, já que se sabia apenas estar em constituição – e daí o “virtualmente derrubado”, ou seja, o derrube virtual de uma inexistência. Poderia também ter optado por “potencialmente derrubado”, uma vez que “virtual” é algo “suscetível de se exercer ou realizar, que existe em potência”, de acordo com o Dicionário da Língua Portuguesa, da Porto Editora.

Penso que neste tipo de “erros” não podemos ser definitivos, temos cada um de nós o seu dicionário e aparece sempre mais outro…

Um abraço do

Alexandre Pais

Partilhar

Os comentários estão fechados.