Vieira, o anti-sniper

O jantar que ontem
reuniu Luís Filipe Vieira e José Eduardo Moniz pode ser considerado parte
integrante da estratégia eleitoral do presidente benfiquista? Pode e não faltará
quem aproveite o embalo dessa onda. Mas vejo o encontro de forma bem mais
positiva, já que Vieira tem vindo a demonstrar – com a exceção da sua guerra
para a eternidade com Pinto da Costa, que é uma desgraça para o futebol
português – uma louvável capacidade de superar diferenças e concentrar
energias.

Em Portugal existe,
infelizmente, da política ao futebol, a mania de cada um se instalar no seu
terraço e de lá se pôr a disparar em todas as direções, como se a vida só possa
ser levada a tiro e não se precise de mais ninguém.

Recusando a teoria do
sniper, Vieira e Moniz enterraram o machado de guerra e com isso deram um
excelente exemplo – que é também exemplo de amor ao Benfica.
Chapeau!

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 22 agosto 2012

Partilhar

Os comentários estão fechados.