Uma semana péssima para a sanidade mental

Nada corresponde a um raciocínio lógico e estamos cada vez mais dependentes dos fazedores de opinião, o que é outro problema: nem todos são recomendáveis.

A semana foi péssima para a sanidade mental. Os efeitos colaterais do massacre de Barcelona foram igualmente arrasadores. Percebe-se que, numa pequena cidade, se possam reunir centenas de litros de acetona e de botijas de gás sem dar nas vistas? Percebe-se que a polícia catalã mate – numa área rural e podendo apenas feri-lo – o principal responsável pelo atentado, que haveria todo o interesse em interrogar? Percebe-se que depois de o bêbado de Nice ter atropelado mortalmente tanta gente, só há dias se “protegesse” a Baixa lisboeta e a zona dos Jerónimos? Percebe-se que a comunicação social alinhe na campanha de Medina, sendo evidente que um veículo dos mais pesados fará aqueles ridículos pilaretes ou cubinhos de cimento parecerem de papel? E percebe-se, já agora, a incompetência de tantos polícias franceses, que abateram a sangue frio um homem porque não conseguiram – nem a tiro? – partir os vidros de um carro?

Fico grato a Manuel Rodrigues, que na CMTV me ajudou a perceber que não sou só eu que não percebo. Mundo louco, que giras ao contrário.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 26AGO17

Partilhar

Os comentários estão fechados.