Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Uma pequena Grande Tarde

Ainda que um dia ou outro a lógica pareça inverter-se, certo é que a “Casa dos Segredos”, da TVI, vai batendo “Mar Salgado”, da SIC, nas audiências. É a via-sacra habitual: uma produção assente na futilidade e no mau gosto – e que não para de reforçar a vertente do sexo e da violência – tem mais espectadores que um trabalho artístico.

Não sei se a SIC aceita a diferença por não querer utilizar armas idênticas. A dúvida assalta-me vendo a equipa do “Grande Tarde”, que em vez de compensar o “handicap” dos tiques ultrapassados de João Baião com um toque de classe, ainda o acentuou com o jeito brejeiro de Luciana Abreu, “encostando” assim ao estilo TVI.

É verdade que o público dos programas de conversa mole – que repetem fórmulas gastas há muitos anos – será talvez o menos exigente e aquele que já nada espera da televisão, mas faz pena ver uma apresentadora com o talento e a capacidade de comunicação de Andreia Rodrigues incluída num trio em que se diminui e vulgariza. A não ser que a pequena tarde seja rampa de partida para voos maiores.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 18OUT14