Jornal asfixiado por não se poder endividar

3681.1134_2311MB05_jpg-550x0.jpg-550x0

O Diário Económico estará para ser vendido  à Controlinveste, o que poria fim a um pesadelo da Ongoing – 20 milhões de euros era o passivo acumulado do jornal e da Económico TV, no final de 2012, ano em que, segundo o Expresso, o prejuízo foi de 6,1 milhões. Isto faz-me lembrar a asfixia financeira e o fecho do semanário desportivo Off-Side, há 30 anos, em nome da boa gestão: tínhamos um pequeno défice no final do mês e não havia quem o quisesse suportar.

O jornal nasceu, em Outubro de 1982, com o dinheiro de um pequeno grupo de cooperantes, alguns jornalistas, que entraram com 50 contos cada – o equivalente hoje a 1.800 euros. O primeiro ano correu bem mas no seguinte tudo se complicou. Avançámos, então, com uma segunda edição semanal, aumentando pouco os custos editoriais e tentando duplicar as receitas. Não resultou. Eram outros tempos, ainda não se havia dado o grande boom da banca – nem o rebentamento de que o País leva agora com os estilhaços.

Na imprensa desportiva não se aceitam intrusos

Fundado nas instalações da extinta CEIG, no Dafundo, o Off-Side integrou, em 1984, um grupo editorial que publicava também o Autosport, o Blitz, o Notícias da Mulher e o Acção Socialista. O jornal constituiu mais uma tentativa, falhada, de sucesso numa imprensa desportiva fechada, que tinha, então, além dos clássicos Record e A Bola, também a Gazeta dos Desportos, que viria igualmente a encerrar, em 1995.

Parece que foi ontem, Sábado, 16OUT14

OFF1a

O n.º 1 do Off-Side saiu para as bancas em 5 de Outubro de 1982. Em cima, a equipa fundadora do jornal

Partilhar

Os comentários estão fechados.