Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Um gesto genuíno de Cláudio Ramos

Na quinta-feira, no “Dois às 10”, da TVI, Cláudio Ramos não resistiu às dificuldades de Tiago, um jovem diferente – e que admitia desistir da luta contra uma doença rara – e decidiu ajudá-lo a cumprir as exigências necessárias para o lançamento de um romance, “Joana”, patrocinando, do seu bolso, uma edição de autor. Se não salvou uma vida, o comunicador deu-lhe um alento extraordinário.

Não falta quem entenda não ser esse o caminho. Porque quando as figuras públicas optam por ajudas ocasionais, arriscam-se a uma chuva de pedidos – e a ouvir muitas histórias falsas – e não haveria, mesmo que de milionários se tratasse, fundos para acudir a todos. Daí que a opção mais comum seja a do apoio a organizações de solidariedade social vocacionadas para fazer chegar o auxílio a quem precisa.

Mas em Portugal temos ainda, mais na área do futebol que é onde há dinheiro, quem defenda a doação anónima. Conversa. Na verdade, muitos dos privilegiados que dizem preferir a discrição total nada dão aos outros, pelo que o genuíno gesto de Cláudio – como o de Goucha, no início do ano – deve ser louvado. Em vez de se enredar em teorias, o apresentador assumiu a exposição e as críticas, e devolveu o sorriso ao Tiago. Chapeau!

Antena paranoica, Correio da Manhã, 20fev21