Um drama na memória

Há dois segredos no sucesso de
“Alta definição”: o trabalho de Daniel Oliveira na preparação do programa da
SIC e a escolha dos entrevistados. O último que acompanhei confirmou-o porque
Roberto Leal encara uma entrevista com o mesmo respeito pelo público que exibe
nas suas atuações.

O cantor é um fenómeno de
comunicação e na ligação às origens mostra-nos uma autenticidade rara. E agora,
que a propósito da crise muitos sublinham a miséria a que chegámos, valeu a
pena segui-lo no regresso à infância em Vale da Porca.

Olhando para o campo de trigo
destruído por uma tempestade, dias antes da colheita, o pai do pequeno Roberto
alerta: “Vamos ter um ano mau”. O miúdo, um de dez irmãos, não entende:
“Porquê, meu pai?” E logo recebe, numa frase para a vida, a dura explicação:
“Porque não vamos ter pão”.

Este episódio, tão atual, coloca-nos
perante a falta de medida com que classificamos os nossos dramas e a facilidade
insultuosa com que deixamos que a febre do consumo se sobreponha ao sofrimento
de tanta gente sem voz que continua a temer pelo pão.

Antena paranoica, crónica publicada na edição impressa do Correio da Manhã de 7 setembro 2013

Partilhar

Os comentários estão fechados.