Teatro-Oficina, um sonho que se frustrou

Em Janeiro de 1968, o ator Paulo Renato, com o apoio de Amélia Rey-Colaço, tentou erguer um teatro-oficina, nas instalações do Grupo Dramático e Escolar “Os Combatentes”, na Rua do Possolo, em Lisboa. Inscreveram-se duas dezenas de candidatos (como se vê nos recortes das reportagens do “Diário Popular” e do “Diário de Notícias”), entre os quais myself – sou o primeiro da esquerda na primeira foto, ao lado de Luísa Salgueiro, Linda Bringel e Leonor Poeira, e aquele rapaz mais alto, ao centro, atrás de Amélia Rey-Colaço, na segunda foto (de óculos, à direita, vê-se o dramaturgo Bernardo Santareno, e atrás, junto à parede, o ator Varela Silva) – mas a iniciativa acabaria por soçobrar por falta de apoio financeiro. O velho regime, ainda com Salazar na cadeira, não gostava muito de “oficinas”…

  

Partilhar

Os comentários estão fechados.