Em defesa de Pepe, a cereja no bolo

A nota 2 que o Record deu a Pepe pelos 69 minutos em que jogou no clássico – só o suplente Vítor Ferreira mereceu avaliação tão baixa nos portistas – encontram quase total justificação no seu desempenho em campo: duas oportunidades perdidas de marcar, uma entrada dura sobre Taarabt e culpas nos dois golos do Benfica. Acontece que o peso do capitão na vitória do FC Porto terá de ser medido à luz de outros fatores. Um é o do estatuto que resulta de uma carreira de 700 jogos oficiais... Leia o resto →

Ao leão em baixo tudo lhe acontece

Chegou, enfim, o primeiro jogo do Sporting da época pós-Bruno Fernandes e a oportunidade para começarmos a descobrir se o novo jogador do MU era, de facto, “meia equipa” do Sporting ou, ao contrário, uma espécie de eucalipto que exauria todo o terreno ao redor, não permitindo o crescimento de talentos ocultos. Persiste a dúvida: pode ser que esse talento exista mas o problema está no tempo, que não corre a favor de Silas, do dr. Varandas e do Sporting. Na Pedreira, vimos uma equipa digna e esforçada, mas sem... Leia o resto →

Pinto da Costa ainda é Pinto da Costa?

Cinco vitórias em cinco jogos e primeiro título no Sp. Braga no bolso, eis o derradeiro mês do currículo de Rúben Amorim, o homem que concilia o pior de dois mundos do futebol português: o das corporações, que tentam proteger os que estão a todo o custo e barrar o caminho aos mais novos, e o da rebaldaria, que permite que se trabalhe sem habilitações e se encene um faz de conta ridículo no banco e na “flash interview”. Mas polémicas à parte, o mérito de Amorim é enorme. E... Leia o resto →

Assobiam para o ar e depois fazem queixinhas

Amanhã, teremos um dia perigoso, com nova manifestação de polícias, cujas organizações sindicais não garantem desta vez – o que lhes fica mal – o controlo de eventuais atos violentos. Ou seja, os agentes pagos pelo Estado para assegurarem a segurança dos cidadãos, tenham embora múltiplas razões de queixa, admitem transformar-se, eles próprios, em causadores de insegurança. Para agravar a situação, no Ministério da Administração Interna, o principal interlocutor dos “revoltosos” enrola-se em considerações vagas e não consegue resolver sequer o drama da falta de equipamentos, viaturas incluídas. Espalhados pelo... Leia o resto →

Silas faz omeletas sem ovos

A noite parecia ser dos desqualificados. Começou no Dragão, com Rúben Amorim, treinador sem os níveis criados pela corporação, a ganhar pela calada depois de se ter desfeito em elogios ao FC Porto, cujo “exemplo” garantiu seguir. Acreditaram nele os portistas – afinal, os de Braga não os venciam em casa há 15 anos – e tramaram-se. Também, é verdade, porque os de Sérgio Conceição falharam dois penáltis em poucos minutos, uma gentileza que faz parte da estrelinha que já percebemos que acompanha Amorim. Estivesse lá o Sá Pinto e... Leia o resto →

Que raio de mediação foi a da Liga no caso da gripe sadina?

Há muitos, muitos anos, passei por momentos difíceis no estádio do Bonfim, quando adeptos do Vitória, em fúria, derrubaram a pontapé a porta da cabina da rádio e tentaram agredir o profissional que fazia o relato – que não concordara com os protestos dos que pediam penálti a favor dos da casa e dera razão ao árbitro. Recordei essa tarde triste, ontem, ao ver alguns exaltados, “pendurados” na tribuna, a insultarem Frederico Varandas, acusando-o, seguramente, de principal responsável pelo não adiamento da partida. É verdade que gente zangada anda por... Leia o resto →

« Entradas mais antigas Posts mais recentes »

 
Back to top