Esta polícia não quero mais

Em 25 de Abril de 1974 tive um das maiores gozos da minha vida ao assistir, na Rua Sampaio e Pina, em Lisboa, à prisão de diversos agentes da polícia. Psst!, ò amigo, para onde é que vamos? Vou pegar ao serviço, meu alferes… Ná, não vai não, vai mas é para casa que hoje está dispensado… Passe para cá a arma! Calculo que os leitores mais novos, que quis a graça de Deus não viveram no Estado Novo, não entendam a minha alegria perante a queda de uma instituição... Leia o resto →