CR7 e Real Madrid: um divórcio estúpido que continua a causar danos

Como aqui previ há uma semana – não era difícil – Cristiano Ronaldo entrou de férias mais cedo do que esperava. Mas despediu-se com dois golos, o último de antologia, e fechou a época com 48 em 52 jogos, uma autêntica proeza para um rapazinho de 35 anos. E fiel a uma postura irrepreensível com os seus treinadores, CR7 não destratou Sarri – como Džeko fez com Paulo Fonseca – o que poderia justificar-se tão medíocre foi o trabalho do napolitano. Veremos se Agnelli não terá cometido novo erro com... Leia o resto →

O que interessa é a satisfação plena do cliente

Na SIC e na TVI devem pensar que descobriram a pólvora com a decisão concertada de silenciarem os comentadores que são adeptos dos clubes. Trata-se apenas de uma abertura de vagas, pois o contributo para combater a propalada “toxicidade” no futebol é quase nulo. Por um lado, está nas instituições e nos seus principais responsáveis a origem do mal. E essa não é atacável por uma comunicação social veneradora e agradecida – alguma, não toda. Ainda vimos, na final da Taça, em Coimbra, que é de dentro do campo para... Leia o resto →

Sangue de barata é bom para a pesca

Revi agora uma entrevista de Jorge Jesus à CMTV, na Arábia Saudita, na qual explicava que a experiência no Al-Hilal o tinha tornado num homem diferente por ter aprendido, com a filosofia árabe, a encarar as derrotas de forma algo semelhante ao que acontecia com as vitórias. Veio-me logo à ideia o Sérgio Conceição e os seus ataques de cólera, e o bem que lhe faria passar um tempo nas arábias. Talvez um dia. Trata-se de uma treta. Primeiro porque Jesus podia comportar-se como um cavalheiro em Riade: ninguém por... Leia o resto →

Jorge Jesus: o homem que partiu para poder voltar

O regresso de Jorge Jesus ao Benfica estava escrito nas estrelas. Tratado como descartável em 2015, criticado por só apostar em jogadores feitos, por desvalorizar as pérolas da academia e até por não fazer parte do projeto de Luís Filipe Vieira, processado judicialmente e classificado como inimigo ao assinar pelo Sporting, e de novo esquecido em 2019 – quando na Luz se pensava ter descoberto, em Bruno Lage, uma mina de ouro – aí está o homem. Após 13 meses de glória e seis títulos no Flamengo, e mais uns... Leia o resto →

Garay no Benfica? Sim, mas o futebol é um negócio

Um caso gravíssimo – os 33 anos de Ezequiel Garay e os 37 de Pepe! – fez com que Manuel Serrão e Pedro Guerra se zangassem, no “Prolongamento” da TVI24, e dessem um bom incentivo aos delinquentes que apedrejam autocarros. Serrão abusou da incontinência verbal e Guerra comparou o incomparável: o central portista apresenta-se ainda, apesar da idade, numa condição física que lhe permite competir ao nível que a equipa e o treinador lhe exigem, enquanto o argentino recupera, desde fevereiro, de uma lesão no ligamento cruzado do joelho direito,... Leia o resto →

É a cabeça de Rúben Amorim que faz o homem

Descobridores de pérolas que somos, tecemos agora loas a Rúben Amorim com a mesma cega certeza que tínhamos no futuro grandioso de Bruno Lage na Luz. Ignorando, vá lá saber-se porquê, que tudo dando aos audazes, nada o futebol lhes garante. Não é preciso ir mais longe, basta ver o caso de José Mourinho, o melhor treinador português pelos títulos que conquistou, e que conseguiu um feito que dificilmente outro técnico lograria: interromper, em Espanha, a hegemonia absoluta do Barcelona, numa altura em que os catalães dispunham daquela que foi,... Leia o resto →

Ai se fosse no tempo da Maria Cachucha!

Não vou participar no concurso de tiro ao Lage. Elogiei-o aqui tantas vezes que me sinto apenas triste pela infeliz frase com que sugeriu haver jornalistas que querem pôr outro treinador no seu lugar. Ao técnico benfiquista, que criou uma nova e muito positiva relação com a comunicação social, fugiu-lhe o pé para o chinelo a partir da altura em que deixou de ser considerado o mago que faz os milagres acontecerem. É uma reação errada, mas compreensível face às circunstâncias, pelo que prefiro encará-la unicamente como um mau momento... Leia o resto →

Portugal precisa e merece organizar a Final Eight da Champions

Concedo: foi uma cena exagerada, desproporcionada, algo ridícula. Não era preciso tanta gente importante e tanto “pessoal menor” a pavonear-se por Belém para saudar a vinda para Lisboa da Final Eight da Champions. Sou igualmente sensível ao argumento dos “contras” que a competição não poderia realizar-se na Alemanha, para Bayern e Leipzig não jogarem em casa. Nem em França, devido ao PSG e ao Lyon estarem em prova. Nem em Itália, por causa da Atalanta, da Juventus e quem sabe até do Nápoles. Nem em Espanha, que qualificou o Atlético,... Leia o resto →

De quem é a mão que embala o berço?

Juiz algum responsabilizará um dia Donald Trump pelos crimes de ódio que se multiplicaram nos Estados Unidos desde a sua eleição e que atingem hoje proporções irracionais. Como em Portugal jamais se provará numa sala de tribunal – e confirmámo-lo não há muito tempo – a relação íntima que possa existir entre a palavra incendiária do intelectual hábil e a mão criminosa do bandido estúpido. Vou repetir-me. Se vivemos num país em que há, e dou apenas exemplos, jornalistas que deturpam a verdade, polícias que assaltam e roubam, autarcas que... Leia o resto →

E lá se vai o “exemplo português”…

Quando tudo fazia prever que o recomeço do campeonato seria mais um passo no retorno à normalidade possível – que a crise sanitária dava sinais de permitir e a economia exige – eis que os últimos dados da DGS voltam a formar uma nuvem escura. Ela faz com que o tão propagandeado “exemplo português”, que a Europa até há pouco aplaudia, comece a ser posto em causa. Não porque o desconfinamento seja demasiado rápido, uma vez que, com exceção da região de Lisboa e Vale do Tejo, os infetados diários... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top