O recomeço benfiquista

Os benfiquistas, pelo menos alguns, vivem tempos de angústia. Entre certezas e dúvidas, casos como as possíveis partidas de Maxi, Gaitán, Jonas ou Lima constituem, depois da saída de Jorge Jesus, um autêntico desespero. Nada de mais. Como se viu no FC Porto, equipas vencedoras têm de ser desmembradas: porque se completam ciclos, porque é preciso realizar mais-valias, porque não se podem “cortar as pernas” a jogadores que tentam fazer um último contrato melhorado, que lhes garanta o futuro. Por outro lado, a chegada de outro treinador sempre agita as... Leia o resto →

O dilema de Luís Filipe Vieira

Em apenas um ano, a SAD do Belenenses reduziu o passivo de 10 para cerca de 8 milhões de euros, um trabalho ciclópico. Mas a boa gestão de Rui Pedro Soares não apagou as irresponsabilidades do passado e os credores – pouco dados a comover-se com boas práticas – exigem receber de imediato 7,2 milhões dos 8 da dívida, o que levou a administração da sociedade azul a requerer, e bem, o Processo Especial de Revitalização, vulgo PER. E o Tribunal de Comércio de Lisboa já nomeou o administrador judicial... Leia o resto →

Um intruso chamado Benfica

Não adianta procurar outros responsáveis pela excelente época do Benfica, campeão nacional e finalista da Liga Europa e das taças de Portugal e da Liga. Eles são os mesmos que, há precisamente um ano, falharam o título por causa de um golo fortuito e não conseguiram conquistar, mesmo sobre a meta, nenhuma daquelas três taças que é possível ganhar apenas num mês, o de maio – e recorde-se que os encarnados há uma década que não erguem o troféu no Jamor. Hoje, hossanas ecoam de todos os cantos e até... Leia o resto →

Renovar com Jesus é a decisão certa

Tudo indica estarem certas as especulações dos últimos dias – aliás, reproduzidas como notícias em quase todas as primeiras páginas da imprensa portuguesa – que dão como segura a permanência de Jorge Jesus no Benfica. Já aqui expliquei os motivos que me levam a considerar essa decisão, a existir, como correta, pelo que não maçarei o leitor com a sua repetição. Saliento, antes, o resultado de dois inquéritos, um online e outro através de telefone, que Record levou a cabo esta semana.  No primeiro, na nossa edição na internet, surpresa... Leia o resto →

Jesus não tem nada para “pensar”

A rapaziada que voga ao sabor das ondas pede agora a Luís Filipe Vieira a cabeça de Jorge Jesus, como se a palavra do presidente fosse letra morta ou como se o técnico pudesse ter evitado a “maldição dos descontos”, ou seja, o remate da vida de Kelvin e o chumbo nas pernas que agarrou Jardel ao solo – e o impediu de saltar com Ivanovic. Ontem de manhã, ouvi na rádio um daqueles inimputáveis que aproveitam o tempo de antena para despejar barbaridades, a exigir o afastamento de Jesus,... Leia o resto →

Canto direto: Não aprovar contas é um ato normal e até salutar

Luís Filipe Vieira sofreu, na AG de anteontem, uma derrota inesperada. Ou talvez não. Se a memória dos homens existisse, o “chumbo” do relatório e contas de 2011/12 poderia ter acontecido na mesma. O que não sucederia certamente seriam os assobios, os insultos e os pedidos de demissão, fruta da época. Essa falta de memória, e a quase total ausência de gratidão, são desgraçadamente comuns, mais do que no futebol, na própria vida. E hoje já pouco conta a imagem do Benfica que Vale e Azevedo deixou por herança, tempos... Leia o resto →

Vieira, o anti-sniper

O jantar que ontem reuniu Luís Filipe Vieira e José Eduardo Moniz pode ser considerado parte integrante da estratégia eleitoral do presidente benfiquista? Pode e não faltará quem aproveite o embalo dessa onda. Mas vejo o encontro de forma bem mais positiva, já que Vieira tem vindo a demonstrar – com a exceção da sua guerra para a eternidade com Pinto da Costa, que é uma desgraça para o futebol português – uma louvável capacidade de superar diferenças e concentrar energias. Em Portugal existe, infelizmente, da política ao futebol, a... Leia o resto →

Líder à vista na FPF

É sempre incómodo fazer futurologia, mas mesmo assim arrisco: Fernando Gomes será o próximo presidente da Federação Portuguesa de Futebol. E pelo seu trabalho à frente da Liga julgo que a sua eleição, para além de natural, será boa para o futebol português. Por outro lado, não acredito que Luís Filipe Vieira se disponha a embarcar na aventura tão do agrado do diário oficial e que seria o lançamento da candidatura de Fernando Seara, que poucos apoios recolheria agora – tão lançados foram já os dados – e que estaria,... Leia o resto →

Luisão confirmou manchete de Record

Quando Record deu conta de mais um “amuo” de Luisão, logo choveram na edição online as críticas e os impropérios da ordem, com o mesmo argumento de sempre: “perseguição” ao Benfica. Não me espanta porque é o guião já visto muitas vezes: o boletim oficial omite e Record, que dá a notícia, veste a pele do inimigo. O que me espanta é esses adeptos encarnados ainda não terem compreendido, ao cabo de todos estes anos, a peça que o central brasileiro sempre interpreta nesta altura da época, na óbvia – e até... Leia o resto →

E agora Jesus?

Escrevi aqui há meses, na sequência da copiosa derrota do Benfica no Dragão, que Jorge Jesus não tinha condições para continuar no Benfica. Enganei-me. Tinha condições. O que não tinha era a capacidade da época anterior para obter resultados, pelo que acabou por se confirmar a profecia. A confiança das direções é fundamental para os treinadores e serve como salvo-conduto para que passem incólumes pela ira dos adeptos desiludidos. Mas não é por aí que passa a concretização dos objetivos, que depende mais da força física, nas pernas, e da... Leia o resto →

« Entradas mais antigas Posts mais recentes »

 
Back to top