Nunca tantos e tão bons, engenheiro

Com seis golos, seis, marcados pelo Tottenham em Old Trafford pela primeira vez na história – e após a eliminação do Chelsea da Taça da Liga e de outra goleada com que se apurou para a Liga Europa – José Mourinho consegue, finalmente, confirmar que tem uma equipa capaz de discutir a Premier. E a subida de patamar competitivo dos “spurs” torna o campeonato inglês ainda mais emocionante. Até porque também o Everton, de Carlo Ancelotti, parece ter dado o salto de qualidade para o lote dos candidatos ao título.... Leia o resto →

O “soco” de Sérgio Conceição não passou de um equívoco

A última polémica que envolve o futebol português é mais um desgraçado exemplo do nível paupérrimo de que se reveste tudo o que não tenha a ver com a excelência dos artistas. O tenebroso caso do Jamor está convenientemente assombrado pelas dúvidas: agrediu Sérgio Conceição o colega de profissão Pedro Ribeiro? Terá sido outro o agressor e o agredido fez confusão? Ou será Ribeiro um louco à solta que procura protagonismo? Vou mais pela hipótese da agressão consumada, por dois sinais que parecem evidências. O primeiro é o facto de... Leia o resto →

José Mourinho não podia ter começado melhor

Depois de demasiados meses a atravessar o deserto, José Mourinho voltou ao ativo, o que constitui uma oportunidade para os observadores de sofá. Para os que gostam do treinador – porque podem tornar a sonhar com grandes resultados desportivos. E para os que o odeiam – porque se reacende a esperança de que o mito tenha terminado. A estes últimos, lembro apenas uma realidade com a qual terão de viver: ainda que perdesse todos os jogos até ao final da carreira, Mourinho, pelo que já conseguiu, seria sempre um vencedor.... Leia o resto →

Raúl Jiménez não servia para o Benfica, porquê?

Se a partida do combativo e popular Mitroglou deixou muitos benfiquistas boquiabertos, maior foi a surpresa pelo empréstimo de Raúl Jiménez, um executante precioso, um avançado móvel e permanentemente ativo, 70 vezes internacional pelo México e cujo rendimento na Luz foi sempre positivo. Mas o Benfica vive um pouco nestes melodramas, seja com os guarda-redes, com os centrais ou com os homens do golo. E nem o fim de ciclo de Jonas, que a lei da vida anuncia, elimina as dúvidas no que respeita aos pontas-de-lança, pois tanto Ferreyra como... Leia o resto →

Nasceram laterais à Seleção: depois da fome, a fartura…

Anos atrás, preocupado com a escassez de laterais portugueses de bom nível, o selecionador Carlos Queiroz chegou a pensar nos então defesas do Manchester United, os gémeos Rafael e Fábio Silva, jovens brasileiros que poderiam eventualmente obter a dupla nacionalidade mas que acabariam, no início da presente década, por alinhar pela seleção canarinha. Pois não há fome que não dê em fartura, uma vez que fomos campeões europeus com Cédric e Vieirinha, no Mundial tivemos Ricardo Pereira, avançámos (finalmente!) com João Cancelo, deixámos de fora um “patinho feio”, André Almeida,... Leia o resto →

Acuña foi caro ou barato?

Há um ano, um comentador e um “narrador” de um canal de desporto peroravam sobre o “péssimo negócio” que, diziam eles, o Real Madrid teria feito com Morata. O avançado jogava pouco – menos de 40 partidas em quatro épocas – e tinha sido vendido em 2014, à Juventus, por 20 milhões de euros, e readquirido em 2016, através de uma cláusula contratual imposta por quem sabe da coisa, por 30 milhões. Logo, concluíam os surrealistas de serviço, o Real teria perdido 10 milhões, uma nabice. Na verdade, tendo no... Leia o resto →

Mourinho, Cristiano e o RM: um grande texto de Juanma Rodríguez na Marca

En líneas generales, y aunque el asunto admite un montón de matices, los antimadridistas sí venderían a Cristiano mientras que los madridistas no lo harían. Y, además, los antimadridistas venderían al mejor jugador del mundo por una cantidad ridícula de dinero para que, así, al desastre deportivo se le añadiera al Real Madrid otro económico. Los antimadridistas quieren lejos a Cristiano, del mismo modo que querían lejos a José Mourinho: si tiene que ser en el PSG, pues en el PSG; pero si puede ser en China o en la Liga... Leia o resto →

Os príncipes é que decidem do emprego dos treinadores

Antes da visita do Manchester United ao Middlesbrough, José Mourinho sentenciou: os jogadores do Boro, ou alguns deles, que Mou sabe quem são, foram os culpados pelo despedimento de Aitor Karanka, antigo adjunto do português no Real Madrid. E o treinador do MU conhece bem esse truque, já que ele próprio foi vítima dos barões do balneário, tanto ao serviço dos blancos como depois, no regresso ao Chelsea. Veja-se como certos milionários blues, tão enjoadinhos e em sub-rendimento no tempo de Mourinho, estão agora ao seu melhor nível sob a... Leia o resto →

José Mourinho: uma vénia nem só pelos 24

São 24 títulos na carreira, 10 em Inglaterra e dois no Manchester United em poucos meses. José Mourinho viveu ontem mais uma tarde de sucesso, que celebrou à sua maneira: semblante carregado, supostamente chateado com alguém ou apenas com o Mundo, hesitante na subida à tribuna, rosto fechado a expressões de alegria. Mou leva-se demasiado a sério e vê talvez o sorriso como uma fraqueza, uma fresta no manto com que tapa os sentimentos mais profundos, que guarda ciosamente para os seus. O treinador português tem essa personalidade, pelo que... Leia o resto →

José Mourinho e Jorge Jesus em sofrimento

José Mourinho passa por dificuldades: o Manchester United é oitavo e está, à 10.ª jornada, a 8 pontos dos líderes da Premier, que são logo três, e a 7 pontos do quarto classificado, correndo sérios riscos de voltar a não se apurar para a Liga dos Campeões. Pior é a vida de Frank de Boer: o Inter – que como o MU gastou mais de 100 milhões de euros em “reforços” – é 11.º no Calcio, a 13 pontos (!) da Juve, e vê também a Europa por um canudo.... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top