O erro grave de Madaíl

Não preciso de reafirmar o meu apreço pelo trabalho que Gilberto Madaíl desenvolveu como presidente da FPF. Mas é esse mesmo apreço que me obriga a não deixar passar em claro a parte da sua recente entrevista em que se referiu a Vítor Baía. Disse Madaíl: “Merecia uma explicação de Scolari. Não era eu que lhe podia explicar isso, pois nunca percebi por que não era convocado.” Que Baía merecia uma explicação, não há dúvida. Que não era o então líder da FPF a poder explicar isso ao então guarda-redes... Leia o resto →

Madaíl, Bento, Cristiano e Postiga: um quarteto que deu a cara e venceu

Sabe-se que por detrás do êxito de uma seleção há sempre uma equipa que sofreu e trabalhou. Foi o caso da nossa, com jogadores e técnicos, dirigentes e público unidos para que se conseguisse o objetivo comum de qualificação para o Europeu. Estão, estamos todos de parabéns. Mas numa história de sucesso existem igualmente protagonistas e eu peço licença ao leitor para distinguir quatro. O primeiro é Gilberto Madaíl, o presidente que passou anos na corda bamba, com um coro de assobios preparado para o concerto à mais leve decisão... Leia o resto →

Mundial de 2018: um “bravo!” aos inconformados

Portugal e Espanha perderam para a Rússia, como aliás se esperava, a organização do Mundial de 2018. Lamentam-se os adeptos do futebol e regozijam-se por cá os amigos da desgraça, aqueles que querem condenar-nos ao miserabilismo para a eternidade. Bom, bom seria canalizar todo o investimento para subsídios ao imobilismo até que não restasse um cêntimo. Depois ficaríamos todos muito iguais, muito pobrezinhos, a matar-nos uns aos outros pelas migalhas que restassem. Assim é melhor. Continuaremos a pagar – até 2024! – os 100 milhões de euros que o Estado... Leia o resto →

Editorial: Madaíl escolheu um homem de caráter

Nem a saída de Carlos Queiroz fará abrandar a intensidade do coro de contestação a Gilberto Madaíl e à direção da Federação Portuguesa de Futebol, com Amândio de Carvalho como bombo da festa. Estão lá há muito, há demasiado tempo, para que nos lembremos de tudo o que deram ao futebol português. Concentramo-nos naquilo em que falharam para alimentar o desejo, quase irreprimível, de os mandar passear os netinhos. A ingratidão dos homens é assim. A verdade é que Madaíl acaba de fazer nova demonstração de capacidade no processo de... Leia o resto →

Mourinho, o improvável selecionador

Gilberto Madail tirou da cartola um coelho que é uma carta de mestre: o convite a José Mourinho para liderar a Seleção nos dois próximos jogos.Tenha ou não êxito, o presidente da FPF ganha fôlego para a recandidatura, embora os portugueses, sempre desconfiados, olhem para a sua iniciativa de sobrolho franzido. Sou um desses pessimistas que duvida do êxito da campanha de Madail. E por dois motivos. O primeiro: por que necessidade de glória se arriscará Mourinho a perder a aura de invencibilidade que ostenta, em duas partidas de elevado... Leia o resto →

 
Back to top