Que raio de mediação foi a da Liga no caso da gripe sadina?

Há muitos, muitos anos, passei por momentos difíceis no estádio do Bonfim, quando adeptos do Vitória, em fúria, derrubaram a pontapé a porta da cabina da rádio e tentaram agredir o profissional que fazia o relato – que não concordara com os protestos dos que pediam penálti a favor dos da casa e dera razão ao árbitro. Recordei essa tarde triste, ontem, ao ver alguns exaltados, “pendurados” na tribuna, a insultarem Frederico Varandas, acusando-o, seguramente, de principal responsável pelo não adiamento da partida. É verdade que gente zangada anda por... Leia o resto →

A guerra que o dr. Varandas não pode ganhar

Cada vitória de Jorge Silas, e em quatro dias houve duas, o que é notável nas presentes circunstâncias, faz com que o foco da contestação se afaste do presidente do Sporting, que no confronto com as claques se meteu num conflito só com perdedores. Mas o problema é que o inferno se instalou em Alvalade e o diabo voltará sempre. Tendo convivido tanto tempo com a equipa, o dr. Varandas sabe bem que, como as “mulheres honestas”, os agentes desportivos não têm ou não devem ter ouvidos, sob pena não... Leia o resto →

Sorte, Silas, que bem vais precisar!

A entrevista de Frederico Varandas à SIC confirmou o que já se sabia: o discurso do presidente do Sporting é um desastre comunicacional. Esse “gap” é agravado pelo facto de o dr. Varandas não demonstrar a menor capacidade para perceber a figura que faz e, logo, para arrepiar caminho. Se hoje mesmo voltasse a sentar-se à frente de Teresa Dimas, repetiria de novo inúmeras vezes – que suplício para o telespetador! – o nome da entrevistadora no início de cada resposta… Por muito bom gestor que o líder leonino venha... Leia o resto →

O dia em que Acuña voltou do exílio

Tiago Fernandes, de cabeça fresca, viu de imediato o que nos parecia absurdo mas que José Peseiro teimava em ignorar: a qualidade de Acuña exangue no exílio da lateral. E ontem, em São Miguel, um rosto novo, uma mudança inteligente, uma energia recarregada e a atitude dos jogadores – sempre eles! – fizeram a diferença. Para ser sincero, também me apetece defender José Peseiro, que em quatro meses no Sporting e perante circunstâncias particularmente difíceis cumpriu uma tarefa responsável e abnegada que merece elogios. Abandonado pela nova direção leonina –... Leia o resto →

 
Back to top