Os rios só correm para o mar (editorial de Record)

 Resolveram rasgar o acordo, mas não podem apagar o que ficou feito, não conseguem desmentir o que aconteceu A importância de Record está bem expressa na ferocidade com que alguns alienígenas – que não compram jornais e que se limitam a alimentar, com a informação gratuita online, o seu fanatismo e os seus ódios irracionais – tentam demonstrar (?), sempre insultando, que errámos ao noticiar o acordo entre o Sporting e Villas-Boas, acordo que, a ser cumprido, faria do treinador o próximo responsável técnico pelos leões. Record não inventou. Descobriu... Leia o resto →