Uma vergonha

Desesperados, os industriais dos carrosséis e de outros equipamentos de divertimento popular continuam a tentar chamar a atenção para a sua dramática situação. Não se trata de um movimento corporativo que invade a capital na esperança de que um novo ministro resolva um dia o que este lhes nega. Não são 120 mil, não fazem lóbi, não têm amigos poderosos. Mas são famílias e crianças que dependem, para sobreviver, da atividade que lhes tiraram. O Estado, e bem, obriga a que os instrumentos do sustento daqueles portugueses obedeçam a regras... Leia o resto →