O dia em que encontrámos Martunis

“As mãos que ajudam são mais sagradas que os lábios que rezam” – Madre Teresa de Calcutá, religiosa católica, Prémio Nobel da Paz 1979 Em Fevereiro de 2005, o então director-adjunto de Record, António Magalhães, meteu-se num voo de pesadelo: três horas de Lisboa a Amesterdão, mais 12 e meia até Jacarta, e outras quatro horas da capital indonésia a Banda Aceh, na ilha de Sumatra. Ele seria o primeiro jornalista português a falar com o pequeno Martunis, de 9 anos, e a levar-lhe o abraço de Portugal. O miúdo... Leia o resto →

Sete anos no mar alto

  Entro hoje, com o António Magalhães, no oitavo ano na direção de Record. E aproveito a altura, como sempre faço, para uma breve reflexão sobre o que tem sido a nossa gestão – e os resultados apresentados ao acionista – em particular o que aconteceu no último ano. Já mal recordo o dia da chegada e as expetativas criadas por um novo projeto com novos companheiros. A imprensa atravessa tempestuoso mar alto sem saber se a espera porto bonançoso ou o precipício profundo onde os primeiros descobridores temiam cair... Leia o resto →

 
Back to top