A bomba de Cristina era de carnaval

Decisões avulsas, o bom senso à deriva… Pressionada pelo relativo fracasso do “Dia de Cristina” – que na manhã de quarta-feira quebrou nas audiências quando o “chef” Ljubomir passou pela SIC e que à tarde voltou a ficar atrás de Júlia Pinheiro, apesar da “bomba” anunciada – a dona daquilo tudo na TVI tenta corrigir o tiro errado do afastamento de Cláudio Ramos do “Big Brother” – uma decisão que só ela não viu que ia dar asneira. Essa asneira, como a do “casting” de amadores, salta à vista nas... Leia o resto →

Trata-se da morte (se ainda não perceberam)

Em breve teremos três mil novos contágios por dia e, talvez ainda este ano, idêntico número de mortos desde o início da pandemia. Nada que preocupe muito os constitucionalistas de trazer por casa e os fanáticos da proteção de dados. Junto-me aos especialistas que duvidam da utilidade da aplicação StayAway Covid. E também aos que criticam a absurda obrigatoriedade da sua importação, por um simples motivo: a fiscalização seria impossível. Mas não percebo a histeria dos que dizem querer preservar os seus dados de um sistema que assegura o anonimato.... Leia o resto →

Os cabotinos são agentes do inimigo

Em Hollywood, não faltam estrelas desempregadas. E não, não se trata de mais um drama nascido da pandemia, mas de um velho problema. A indústria do cinema leva muito a sério a lógica do negócio e apesar de alguma cedência ao peso dos nomes no cartaz e aos caprichos de quem paga o filme, o “casting”, que escolhe os atores com o perfil certo para os papéis, é para ser respeitado. Por cá, os estúdios das novelas cedo foram tomados por uma espécie de “padrinhos” que formaram os seus grupos... Leia o resto →

Mendes, Goucha e Fátima: peixes de águas profundas

Como espectador, tanto me diverte assistir a um bom programa como ver a deceção de alguns espevitados quando peixes de águas profundas, dados como extintos, voltam a dar sinais de vida. Aconteceu isso com “O preço certo”, da RTP1, primeiro após o fogo fátuo de Cristina com “Apanha se puderes”, da TVI, e depois com a crise pandémica que suspendeu os “diretos”. Fernando Mendes, que já recuperara antes, repete agora a proeza, regressando ao “top 10” de audiências e arrasando, no ante “prime time”, a modéstia de “O noivo é... Leia o resto →

E a TVI pariu um rato com o “Dia de Cristina”

A TVI anunciou o “Dia de Cristina” com tal estardalhaço que se criou uma onda de expetativa: que momentos inovadores em televisão iríamos ter? Decorrido o evento, logo se concluiu que a montanha pariu um rato. Durante longas horas, a apresentadora exibiu-se em conversas banais com amigos convenientes – e inconvenientes… – sempre com o espalhafato que é marca da casa. Inovação só nos cenários megalómanos e despropositados, a sugerirem ser o espaço sideral o único limite ao desígnio divino que ilumina Monte Abraão. Até o prémio das chamadas ditas... Leia o resto →

O tremendo risco de Cristina Ferreira

Na TVI, Cristina Ferreira segue pelo caminho de deslumbramento e auto-afirmação que tanto a pode levar à glória como fazê-la cobrir-se de ridículo. A arrogância só se perdoa aos vencedores. Em vez de entrar em Queluz de pantufas, a nova diretora logo deu a ideia de ter esbarrado antes, na SIC, numa estrutura profissional não capturável pelo novo-riquismo televisivo. Aquele com que ela agora recupera nulidades já afastadas, substitui competentes por jovens turcos ou tapa a ribalta à maior revelação da estação. E que tem a mesma postura com a... Leia o resto →

Maria Botelho Moniz ainda está verde

Júlia Pinheiro e Fátima Lopes são imbatíveis naquele período da tarde em que os seus programas lançam os dramas mais pungentes. Seguem os casos com atenção e parecem mesmo comover-se, mas não. Ou não demasiado. Impotentes perante a dor, são como médicos face a doentes incuráveis: recebem-nos com a cara número três, a do pesar profissional, ossos do ofício. Já a novata Maria Botelho Moniz está ainda verde. E esta semana ficou à beira da apoplexia ao saber, pela boca dos próprios pais, do macabro assassínio do filho. Separado da... Leia o resto →

E ninguém os demitiu!

Nesta crónica, a número 500 e tal (!), que assinala a passagem de dez anos – ai, ai… – sobre a publicação da primeira, aqui no CM, deixo de parte a televisão para exorcizar um demónio que não me larga. Em agosto, aplaudi os esforços da diplomacia portuguesa a favor da abertura do corredor aéreo com o Reino Unido, uma medida vital para a nossa economia. Presidente e primeiro-ministro envolveram-se igualmente na “task force”, e respirámos de alívio quando as autoridades britânicas libertaram de quarentena os turistas regressados de Portugal.... Leia o resto →

Ninguém quer saber dos idosos maltratados

Não me incomodou muito a canalhice da divulgação da conversa em “off” do primeiro-ministro. É o país de delatores que temos. Como não me chocou a pulhice com Vítor Gaspar, em 2012, quando o então ministro das Finanças quis mostrar serviço ao congénere alemão, foi apanhado pelos microfones e viu o seu confrangedor diálogo rapidamente difundido – com o aplauso de algumas virgens ofendidas que suspenderam agora as férias para amortecer o “cobardes” de António Costa. Também me ralo pouco com a suposta indignação dos médicos, cuja Ordem devia averiguar,... Leia o resto →

Uma estrela única na TVI

Por três semanas, Maria Botelho Moniz tomou de Manuel Luís Goucha o “Você na TV!” e terminou (?) o desafio aprovada por distinção. Com exceção de alguns “balanços” matinais do “BB”, não liderou as audiências, é certo, mas antes já não era a TVI que mandava nas manhãs. Além do mais, enfrentou, na SIC, um peso pesado da TV e uma apresentadora que vem dando excelente conta nos trabalhos que lhe destinam – e ambos beneficiando, desde a estreia de “Casa feliz”, do impulso vencedor deixado por Cristina Ferreira. O... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top