A corte da hipocrisia que cercava Eduardo Beauté

No seu imparável desfile de grandeza e miséria, as redes sociais ferveram esta semana com os comentários sobre a morte de Eduardo Beauté. Os vermes destilaram o habitual veneno e algumas das supostas amigas do cabeleireiro aproveitaram para ficar bem na fotografia, com mensagens rebuscadas de saudade e hipocrisia. A vida é o que é e muitas das madames que adulavam Beauté faziam-no com o único objetivo de arranjar o cabelo sem pagar – fossem estrelas pálidas da televisão ou figurinhas de terceira em busca de protagonismo. E nem as... Leia o resto →

O tocante gesto de Paulo Futre

Há quatro anos, um dia depois da partida da minha filha mais velha, tive o privilégio – abusando da paciência dos leitores de “Record” – de poder evocar, numa crónica, os êxitos de desportista da Teresa: quatro títulos nacionais de basquetebol. Recordei o facto ao ver, na última quarta-feira, a homenagem que Paulo Futre prestou ao seu pai – desaparecido há uma semana – no “Liga d’Ouro” da CMTV, a exemplo do que fizera já no “Record” e no Facebook, em textos dominados pelo orgulho e pela gratidão. Foi um... Leia o resto →

António Costa em passeio na TVI

A entrevista do chefe do Governo à TVI foi marcada pelo amadorismo – ou algum comprometimento, vá lá saber-se – do painel que fez as perguntas, numa onda cor de rosa que, não tendo sido preparada, parecia. Mais preocupada em brilhar inter pares do que em “entalar” o primeiro-ministro, a perguntadora sobre Educação – “professora profissionalizada” (!) – debitou o rol de queixas habituais da classe contra o Executivo. E António Costa embrulhou-a com o discurso do descongelamento de carreiras, apagando-se pelo meio a questão que exigia uma resposta direta:... Leia o resto →

O sonho dos falhados

Ver cair quem tem sucesso será sempre um sonho dos falhados. E as férias de Cristina Ferreira abriram, no coração de algumas almas, a esperança de que as audiências dos seus programas baixassem. Mas na ânsia de que os desejos se tornassem realidade, misturaram o “Cristina” das manhãs com o concurso do ante prime time. No primeiro caso, referi-o já aqui, Cláudio Ramos resistiu, com uma quebra que não chegou para que a TVI batesse a SIC. Quanto ao segundo, repetiu-se, mesmo antes das férias da apresentadora, o que acontecera... Leia o resto →

De agressores a estrelas de televisão

Nota alta para o brilhante trabalho de Cláudio Ramos, na SIC, “a fazer de Cristina” e a bater a TVI nas audiências, em alguns dias por números tão expressivos como os obtidos pela titular do programa. Mas tenho de me ficar por aí, chocado com aquele vídeo tenebroso em que se veem agentes da PSP a serem violentamente agredidos por dois homens. Chamados a conter uma desordem entre famílias, em Loures, os polícias procuraram defender-se até à chegada de reforços que permitiram, com enorme dificuldade, deter os atacantes. Não passaram... Leia o resto →

Este estranho mês de agosto

Apareceu uma chuvinha, os fogos entraram em férias e todas as atenções mediáticas se concentraram na greve dos camionistas. Animado pelo descanso triunfalista do ministro Cabrita, António Costa foi à janela e meteu a mão de fora: cai uma água, sim, mas não só. Especialista em clima social e conhecedor do poder da televisão para pôr o país em polvorosa ou para o libertar de pesadelos, o primeiro-ministro percebeu que estávamos maduros para aceitar uma posição dura. E mal a TVI publicou a reportagem que deixou a nu o passado... Leia o resto →

A teia dos negócios familiares dá sempre asneira

Tivemos uma semana televisiva preenchida com os jogos florais das golas antifumo inflamáveis – ou apenas perfuráveis, uma doçura – dominados por desculpas esfarrapadas e trocas de acusações. E pelo escândalo da voraz teia de ligações familiares que vai zelando pela prosperidade dos novos donos disto tudo. São novos e também velhos. Aliás, os novos são muitas vezes os velhos que ressurgem nas pessoas de filhos e netos, tios, sobrinhos e primos em graus diversos. E não vale a pena abrir a boca de espanto ou ficar chocado com negociatas... Leia o resto →

Vamos continuar a arder

Chegaram com atraso mas chegaram, de braço dado com o calor intenso – numa união que fragiliza a tese do fogo posto – e para alívio dos alinhamentos noticiosos, que assim se libertaram das reportagens de coisa nenhuma: de férias ou pontes, de sol baço ou falta de chuva, de combustível que sobe mais do que desce. Sim, temos os incêndios connosco e já uma certeza: do que ainda restava verde pouco sobrará este ano. O inefável ministro Cabrita, cuja aparição nos assombra quase tanto como as chamas, vende uma... Leia o resto →

O murmúrio de Cristina Ferreira

Criticada pela gritaria, Cristina Ferreira encontrou, com essa caraterística, a sua praia. Fosse ela diferente e menor seria o seu sucesso. Goste-se ou não, criou um estilo que agrada a muita gente, embora não à maioria – um mito urbano. Trata-se, aliás, de caso semelhante ao de Passos Coelho, que ganhou as eleições de 2015, não conseguindo seduzir 60 por cento dos eleitores. Vejamos as audiências médias da manhã de quarta-feira: “O programa da Cristina”, da SIC, teve 344 mil espectadores, o “Você na TV!”, da TVI, 240 mil, e... Leia o resto →

Por que comem bacon e salsichas os portugueses quando estão de férias?

Nas férias, li com prazer e preocupação crescente dois livros que tinha em atraso: “A vida secreta dos intestinos”, da gastroenterologista alemã Giulia Enders, lançado em Portugal em 2015, e “A alimentação cura tudo”, do mediático dr. Mehmet Oz, que adquiri em 2018. Sim, sou daqueles que compram livros. Curiosamente, partilhei um “buffet” de hotel com turistas que tudo fizeram para me horrorizar com opções gastronómicas tanto mais assustadoras quanto mais ia avançando na leitura. Porque será que os portugueses quando estão de férias seguem as escolhas suicidas dos estrangeiros... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top