Record Online ultrapassou pela primeira vez 3 milhões de pageviews num único dia

A edição online de Record não pára de bater os seus próprios máximos. Das 0 às 24 horas do último domingo, 25 de abril, o nosso site alcançou o maior número de pageviews desde a sua fundação, há 11 anos: 3.127.529. Esse resultado bate por mais de 170 mil páginas vistas o recorde anterior, que era de 2.949.894 e havia sido obtido já este ano, a 28 de Fevereiro. O terceiro dia com mais pageviews é agora o 30 de junho do ano passado, com 2.907.213.

Em termos mensais, julho de 2009 mantém-se como o melhor mês de sempre, com um acumulado de 75.624.424 páginas vistas, surgindo a seguir dois meses já de 2010, janeiro, com 69.682.140, e março, com 68.758.295.

Este ano tem sido, aliás, fértil em novos máximos, como é o caso das notícias mais lidas no Record Online, com os três lugares do pódio a serem preenchidos apenas em mês e meio: a 28 de fevereiro, com o Sporting-FC Porto (3-0), passámos pela primeira vez o meio milhar de leitores de um único texto num único dia, com 528.596, número de que nos aproximámos de novo a 13 de abril corrente, ao longo do “direto” do Benfica-Sporting (2-0), atingindo 520.491 leitores. A terceira marca foi obtida com o Marselha-Benfica (1-2) de 18 de março: 438.075.

Quanto a notícias mais comentadas, tivemos este mês, no dia 8, o Liverpool-Benfica (4-1), com 2.042, e no dia seguinte “Pinto da Costa: Não vamos ganhar o campeonato dos túneis”, com 2.185, continuando o primeiro lugar de sempre a corresponder ao Sporting-Benfica (1-1), de 21 de março de 2009, com 2.256 comentários.

Quase todos os jornalistas de Record estão na base destes resultados, em especial os que se dedicam em exclusividade à edição online. Mas gostaria de salientar aqui o papel de coordenação do subdiretor Bernardo Ribeiro, a liderança executiva diária do editor-chefe adjunto da direção Luís Pedro Sousa, o trabalho fundamental de relançamento do site levado a cabo em 2009 pelo editor-chefe Luís Avelãs, e a paciência (de 11 anos!) do homem que prepara o “dia seguinte”, o editor-chefe Luís Óscar. Não fosse o Bernardo e eu diria que o Record Online era um sucesso… de Luíses!

Parabéns a todos, obrigado aos nossos leitores, e nada de comemorações: temos mais um recorde para bater por estes dias…

PS: Olá, Lisboa, outra vez!…

Partilhar

Os comentários estão fechados.