re: Vamos ajudar o Manoel

Alexandre Pais,

Tenho por hábito ler as suas crónicas. Mas houve uma em particular que me tocou: apesar das desavenças com Rui Cartaxana, fez das crónicas mais nobres e honestas aquando da sua partida.

Posto isto, aproveito para desejar desde já as melhoras ao Manoel e, uma vez que falamos de um assunto relacionado com o Sporting, queria deixar aqui uma sincera palavra.

Sou sportinguista. O futebol é, de facto, um mundo. Proporciona momentos de grandes alegrias e tristezas, ansiedades e paixões. Sem nunca ultrapassar grandes limites no apoio ao meu clube, é com alegria que acompanho os jogos. Melhor, é com alegria que acompanho as evoluções durante as semanas que antecedem os jogos. Cada apito inicial marca uma meta de ansiedade e vive-se a festa, o desporto, o ganhar ou perder.

Evidentemente, como sairam as palavras de Rui Patrício, um adepto é para o bem e para o mal. Por muito que o mal seja.

Ora, é aqui que falta alguma coisa. Como bem sabemos, todos os grandes clubes ganharam e perderam. Mas uma coisa nunca perdem: a CHAMA.

Os dirigentes e jogadores do SCP têm que ter noção que nas “suas mãos” o clube de Manoel, de Damas, de Figo, dos 5 violinos…

Independentemente de todas as vicissitudes, a maior falha dos responsáveis leoninos é patente: é preciso não deixar morrer a chama do Sporting de sempre… mas estão a apagá-la… lentamente…

Posto isto, gostaria que fizesse referência a este ponto na sua próxima crónica, que com toda a certeza seria uma crónica digna desse nome. E aliviaria muitos sportinguistas…

Abraço!

Partilhar

Os comentários estão fechados.