re: PC e LFV: dois intocáveis

A noite em que o Futebol foi entrevistado acabou por ser histórica pela forma e não pelo conteúdo. Os presidentes das três instituições mais badaladas dos últimos meses marcaram presença na televisão em horário nobre quase em simultâneo. Já que a estratégia de contra-programação obrigou á sobreposição dos programas onde intervieram Luis Filipe Viere e Pinto da Costa optei por ficar no Bayern-Manchester e esperar que a poeira assentasse para extrair algumas conclusões. Segui, no entanto, com atenção a única verdadeira “entrevista” que teve lugar na noite de ontem, preperada e conduzida por Ana Lourenço, em que participou o actual-mas-não-por-muito-tempo presidente da CD da Liga. Deixo, então, uma pequena síntese daquilo que de positivo e negativo resultou dos 3 espaços televisivos:

Presidente da Comissão Disciplinar da Liga / Ana Lourenço

POSITIVO: Ricardo Costa defendeu a decisão do orgão que preside sustentando-a á luz do Direito desportivo proposto e aprovado pelos clubes. Quem acompanhou a sua exposição sem se perder na terminologia jurídica percebeu porque foram considerados “intervenientes” os Assistentes de Recinto Desportivo.

O juiz falou da “sua” justiça de forma transparente e diz-se discordante do acordão de recurso que incorre numa analogia (Steward=Público) impensável e perigosa. Tem a palavra o Conselho de Justiça da Federação…

NEGATIVO: Para quem se diz um “outsider” do fénomeno do Futebol ficam-lhe mal afirmações como: “…Querem exterminar o CD da Liga..”. Este é o modus operandi dos que cá andam há muito tempo; espalhar suspeita sobre todos para não apontar o dedo a nenhum.

O caso do jogador Vandinho esteve longe de ficar bem explicado; o recurso do Braga foi indeferido porque a matéria de facto não foi analisada (Ficou provado que houve tentativa de agressão, em primeira instância) mas depois de defender o profissionalismo e indepedência do Conselho Disciplinar não se admite que Ricardo Costa diga que a Liga publicou o castigo de Vandinho “quando teve tempo para reunir” e que não cabe ao CD decidir em função do prazo final para o registo das transferências. Dá a entender que os senhores juizes fizerem o “favor” de se juntar para trabalhar o que revela alguma falta de bom-senso. Tal como era de evitar a observação final do dr.Ricardo Costa quando afirma que o Braga estava ciente da decisão que iria ser divulgada porque “até reforçou o seu plantel”. Desnecessário…

Presidente do Sport Lisboa e Benfica / Miguel Sousa Tavares

POSITIVO: A politica de comunicação do Benfica tem no seu presidente o seu maior triunfo. Luis Filipe Vieira fundamentou, com a serenidade que o 1º lugar lhe confere, a situação financeira do clube, os êxitos da marca Benfica e distanciou-se, convenientemente, das contratações falhadas de Falcao, Alvaro Pereira e…Prediger!

NEGATIVO: A entrevista propriemente dita resumiu-se ao tema “Pinto da Costa”, tudo o resto foi uma conversa entre um adepto do Porto, que não podia perguntar o que lhe convinha por ser o apresentador de um programa de televisão, e um adepto do Benfica que não pôde responder como lhe apetecia por ser o presidente do clube. Fumo sem fogo…

Presidente do Futebol Clube do Porto / Judite de Sousa

POSITIVO: Para o horário em questão a figura de Jorge Nuno Pinto da Costa tinha tudo para monopolizar as atenções. O dialecto de Pinto da Costa convence os seus sem deixar de divertir todos os outros. Depois de uma primeira rábula em que comparou Hulk a Messi e a Cristiano Ronaldo o presidente-candidato resumiu o sentimento da nação portista numa frase incontestável: “…Para nós perder um ano é uma crise, para os outros, ganhar de cinco em cinco é uma festa!…”

NEGATIVO: Judite de Sousa deixou que o seu convidado discorresse a seu bel-prazer. Nada que não fosse já esperado. Contudo a jornalista permitiu que Pinto da Costa falasse verdade a mentir, o que só demonstra pouco cuidado na preparação da conversa. Exemplo: “O Benfica foi altamente beneficiado pela Câmara de Lisboa, enquanto o FC Porto não recebe rigorosamente nada da Câmara do Porto.”  O Benfica até pode ter sido “altamente beneficiado” pela CML e é compreensível que o FCP não receba nada da CMP. Mas, não consta que o Centro de Estágio do Benfica tenha sido oferecido pela Camara Municiapal do Seixal ao contrário dos terrenos “cedidos” pela Câmara de Gaia para que o Porto edificasse o seu centro de estágio no Olival…

O que ficou por perguntar?

– A Ricardo Costa: Na prática, qual é o castigo a que o presidente do Futebol Clube do Porto está sujeito, no âmbito da sentença “Apito Final”? E em que punição incorre no caso de desrespeitar a decisão do CJ da Federação?

– A Luis Filipe Vieira: Rui Costa está a ser “trabalhado” para ser o próximo presidente do Benfica?

– A Pinto da Costa: Que tipo de conselho matrimonial podemos esperar de alguém que recruta as suas companheiras em bares de alterne?

Partilhar

Os comentários estão fechados.