re: Os rios só correm para o mar (editorial de Record)

1. Volto a escrever o que já escrevi aqui, o Record não entitulou que havia um acordo com o Sporting, entitulou que Villas-Boas is ser treinador do Sporting. Mesmo assumindo a tese do acordo como verdadeira o Record devia ter mais cuidado com os títulos das suas primeiras páginas.  Espero que não considere isto um insulto.

2. O Record, e outros orgão de informação, têm agora dito que havia um acordo entre o Sporting e Villas-Boas e que por diferentes razões ele foi quebrado. Até hoje, nem Villas-Boas nem o Sporting confirmaram a existência desse acordo. No caso de Villas-Boas ele até o desmentiu aquando da notícia inicial. Até hoje, não vi nenhuma prova de que o acordo existiu. Diz que não podem apagar nem desmentir o que foi feito, mas que provas apresentou o Record de que o acordo existiu? Se sim, mostre-nos o contrato ou diga-nos qual é a vossa fonte. Caso contrário, pelo menos eu não acredito na existência do tal acordo. E também espero que não considere isto um insulto.

3. Na sequência do comunicado do Sporting, escrevi aqui que se devia demitir. Foi uma frase impulsiva e disparatada que de facto escrevi sem pensar. O meu disparate fioi lido por si e por mais alguns dos que aqui vêm. As primeiras páginas do Record são lidas por milhões, mesmo por quem não é leitor do jornal. Por isso, devia haver mais cuidado em como são construidas. Sobretudo quando envolvendo uma instituição com a dimensão do Sporting (do Benfica ou do Porto). E a notícia do Villas-Boas não foi a única primeira página infeliz nos últimos meses. Será isto um insulto?

4. De todas as formas, julgo que os jornais (e não só o Record) deviam ser responsabilizados de alguma forma pelas notícias que dão e pela forma como as dão, e o director do jornal é o primeiro responsável. Se não, pode-se escrever o que se quiser em nome de uma qualquer fonte. A única consequência que existe neste momento é a credibilidade do jornal. E, até prova concreta em contrário, em minha opinião, a credibilidade do Record foi muito abalada com esta caso. Talvez porque alguém enganou propositadamente o jornalista que deu a notícia, admito. E também não julgo que isto seja um insulto.  

Partilhar

Os comentários estão fechados.