Quim é apenas bom…

 

Na partida do fim de semana em Saragoça, ganhava o Barça por 2-1 quando Alexis surgiu isolado na grande área da equipa da casa, sobre o lado direito, e rematou forte, com o seu melhor pé – juro que vi a bola dentro das redes. Pura ilusão, Roberto esticou-se e fez uma defesa “impossível”, sacudindo a bola, que saiu junto ao poste.
O lance do golo do FC Porto ao Sp. Braga foi parecido, com Hulk a isolar-se na mesma zona da área e a rematar cruzado, com o seu pior pé, o direito. Com um gesto idêntico ao de Roberto, Quim fez-se à bola, ainda a desviou mas não o suficiente, e ela passou também junto ao poste… para o interior da baliza.
Se eu fosse treinador e tivesse que optar entre Quim e Roberto, escolheria a regularidade do português. Mas tenho de reconhecer que o espanhol, falhando embora quando “não pode”, é capaz de defesas extraordinárias, proezas mais raras na carreira de Quim. Ou seja, faltou no sábado, ao Sp. Braga, um fantástico guarda-redes no lugar do bom guarda-redes que tem. 
Com uma defesa “impossível” àquele remate de Hulk, a história desta liga seria a mesma? Eis o que nunca saberemos

Na partida do fim de semana em Saragoça, ganhava o Barça por 2-1 quando Alexis surgiu isolado na grande área da equipa da casa, sobre o lado direito, e rematou forte, com o seu melhor pé – juro que vi a bola dentro das redes. Pura ilusão, Roberto esticou-se e fez uma defesa “impossível”, sacudindo a bola, que saiu junto ao poste.

O lance do golo do FC Porto ao Sp. Braga foi parecido, com Hulk a isolar-se na mesma zona da área e a rematar cruzado, com o seu pior pé, o direito. Com um gesto idêntico ao de Roberto, Quim fez-se à bola, ainda a desviou mas não o suficiente, e ela passou também junto ao poste… para o interior da baliza.

Se eu fosse treinador e tivesse que optar entre Quim e Roberto, escolheria a regularidade do português. Mas tenho de reconhecer que o espanhol, falhando embora algumas vezes quando “não devia”, é capaz de defesas extraordinárias, proezas menos frequentes na carreira de Quim. Ou seja, faltou no sábado, ao Sp. Braga, um fantástico guarda-redes no lugar do bom guarda-redes que tem. 

Com uma defesa “impossível” àquele remate de Hulk, a história desta liga seria a mesma? Eis o que nunca saberemos.

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 11 abril 2012

 

Partilhar

Os comentários estão fechados.