Que Cristiano Ronaldo teremos no Mundial?

A cristianodependência de que sofrem os adeptos portugueses acentuou-se particularmente em abril e maio, com a chegada da fatura pela média aproximada de 60 jogos e 60 golos das últimas quatro temporadas no Real Madrid e na Seleção. Nas condições atuais, que rendimento poderá Cristiano Ronaldo atingir no Brasil? Já aqui me referi ao erro do craque – que será extensivo a Carlo Ancelotti e aos médicos do clube merengue – de fazer com que a vontade de jogar e a ânsia de se superar e bater recordes se sobrepusessem ao bom senso e subestimassem não só a massa de que é feito o corpo humano como as folhinhas que dia após dia caem do calendário – e a verdade é que CR7 vive o ano 30 da sua existência.

Apesar de ter falhado vários desafios na fase final da época clubística, as notícias da imprensa espanhola apontavam Cristiano, na retoma dos treinos, como estando com “molestias”, ou seja, sentindo-se desconfortável, ou mesmo atuando “mermado”, portanto diminuído, como sucedeu nos 120 minutos – 120! – da derradeira final da Liga dos Campeões. Ainda esta semana, quando após quatro dias de miniférias no Gerês o “capitão” se apresentou em Óbidos, regressaram com ele as “molestias”, sendo certo, e nem poderia ser de outra forma, que hoje não defrontará a Grécia. Aliás, com o pragmatismo que o carateriza, o selecionador admitiu até a possibilidade de Cristiano não jogar contra a Alemanha, no dia 16, colocando assim um ponto final na já insuportável história das “molestias” de um atleta que é poupado, supostamente com o intuito de que possa recuperar, e logo retorna… “mermado”.

Paulo Bento sabe melhor que ninguém que não é possível enfrentar uma grande competição continuando a empurrar o lixo para debaixo do tapete. E desse modo, rezando sempre para que uma pancada mais forte – e muitas esperam por Cristiano no Brasil – não torne a “acordar” o seu tornozelo direito ou o tendão rotuliano do joelho esquerdo, outro problema que se transformou num clássico, há que meter pés ao caminho e restaurar de vez o bíceps femoral da perna esquerda, o músculo martirizado que já tinha dado muito trabalho em 2011 e que voltou agora a ceder para reduzir os nossos sonhos e a ambição de CR a repetidas visões do inferno. Estará nas mãos dos homens esse milagre?

Canto direto, Record, 31MAI14

Partilhar

Os comentários estão fechados.