Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Pobres crianças desesperadas

Não é perversidade exclusiva da TVI a versão “Kids” de “A tua cara não me é estranha”: ainda há dias, num dos episódios de “America’s got talent”, em transmissão na SIC Mulher, se viam crianças desesperadas por os seus desempenhos não terem convencido o júri.

Mas é esse sofrimento que atrai as audiências, sempre prontas a receber como primasdonas a morbidez, a excentricidade e até a aberração. E aí não falham as estações de TV mas os pais, incapazes de se oporem – por vezes na esperança de que lhes venha a tocar “algum” – à tentação ingénua dos filhos, que demasiado cedo são induzidos a substituir a enganosa fama televisiva pelo esforço fiel do trabalho.

“Por favor, não escreva nada de mal sobre a minha família!”, suplicava esta semana uma das estrelinhas da TVI – mais adulta que a mãe que lhe pôs o telefone nas mãos – à repórter de uma revista. Daí à eliminação do programa e ao choro compulsivo, e depois à frustração e à perda da autoestima, o percurso é rápido. Mas quem se preocupa com isso? O legislador, pelos vistos, dorme descansado.

Antena paranoica, CM, 22FEV14