Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Paulo Bento: do 4.º lugar ao primeiro. Ah, pois é!

A Seleção fez ontem mais uma descolorida exibição que não entusiasmou ninguém? Lamento dizer que é verdade.

Mas seria difícil esperar melhor numa partida de final de época, com a generalidade dos nossos internacionais com mais de 50 jogos nas pernas – Cristiano Ronaldo chegou aos 59… – e a reclamar férias com urgência.

Além do CR7, João Pereira, Bruno Alves, Meireles e principalmente Nani estão já longe da sua forma habitual, tendo o razoável desempenho da Seleção ficado a dever-se mais à boa condição ainda revelada por Eduardo, Coentrão, Postiga e, em especial, Pepe e Moutinho, o dueto que se aproximou da perfeição.

Depois, claro, restam os números e o mérito que cabe a Paulo Bento, o técnico que pôs fim aos fantasmas e às manias da perseguição, que arrumou a casa e recuperou a confiança dos jogadores. O resultado é “só” o 1.º lugar no grupo, em vez do 4.º que o selecionador encontrou à chegada.

Sim, é bom recordar que, antes, empatámos (4-4) em Braga, frente à “fortíssima” equipa de Chipre. Esse é o termo de comparação porque o resto é só conversa. Ah, pois é!…

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 5 junho 2011