Cláudio Ramos: um risco excessivo para a SIC

Raramente é verdadeiro o ditado que diz que cá se fazem, cá se pagam. Mas foi o que aconteceu desta vez à SIC. Um ano depois de ter ido buscar Cristina Ferreira à TVI, oferecendo-lhe, ao que se leu, o dobro do salário, a estação de Paço de Arcos ficou agora sem Cláudio Ramos, sofrendo com isso um golpe que pode não ter sido pequeno.

A diferença entre os dois raides ao território “inimigo” está no poder defensivo dos invadidos. É que na altura do “roubo” de Cristina, a TVI não dispunha de talento ao nível dos programas ou capacidade de esforço financeiro para segurar a sua estrela.

Já o “desvio” de Cláudio foi feito com um “pré-aviso” tão longo – um ano! – que custa a acreditar que a SIC não o tivesse equacionado a tempo de evitar a partida de um quadro tão importante para a consolidação do sucesso de Cristina, como esta um dia foi para a sustentação do êxito do “Você na TV!”.

Somos levados a concluir que Daniel Oliveira não quis mesmo “segurar” Cláudio Ramos, permitindo assim a Nuno Santos contratar um notável comunicador, que goza ainda da fama de trabalhador infatigável. Após a perda da transmissão do Europeu para a TVI, parece um risco excessivo que “o puto” tenha deixado à solta “o homem”.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 15fev20

Partilhar

Os comentários estão fechados.