O erro grave de Madaíl

Não preciso de reafirmar o meu apreço pelo trabalho que Gilberto Madaíl desenvolveu como presidente da FPF. Mas é esse mesmo apreço que me obriga a não deixar passar em claro a parte da sua recente entrevista em que se referiu a Vítor Baía. Disse Madaíl: “Merecia uma explicação de Scolari. Não era eu que lhe podia explicar isso, pois nunca percebi por que não era convocado.”

Que Baía merecia uma explicação, não há dúvida. Que não era o então líder da FPF a poder explicar isso ao então guarda-redes do FC Porto, também concordo. Com o que não posso concordar é com a expressão “nunca percebi por que não era convocado”.

Quero acreditar, e nem coloco outra hipótese, que Madaíl não faltou à verdade. Mas a sua ignorância quanto às razões do afastamento de Baía é inaceitável. Então não sabia, não percebia e não fez, em privado, a pergunta ao técnico que contratou e a quem pagava todos os meses?

Aopção de Scolari era soberana, ele cumpria o seu papel. Mas o homem que estava no topo da pirâmide federativa tinha o dever de saber tudo. Não para o revelar, nem para pressionar. Apenas para conhecer, para liderar e para não fazer um dia, que foi agora, esta nada bonita figura.

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 27 dezembro 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.