O drama do Belenenses

Se dúvidas ainda houvesse, a derrota do Belenenses na Madeira cavou de vez a sepultura dos azuis na época em curso, com a despromoção quase garantida.

Estas coisas não acontecem por acaso. Felizmente, este desaire já não é fruto nem de uma vaidade e de uma arrogância sem limites, nem de uma associação de maluquinhos à solta. É uma direção de pessoas sérias, que herdou um clube e uma SAD numa situação calamitosa, a ficar como responsável por este inêxito. 

É verdade que a rigidez orçamental e as contas atrasadas por pagar condicionaram as contratações, mas não é menos verdade que a atuação dos dirigentes de Belém se salda também por uma apreciável ingenuidade e alguma presunção de conhecimento.

Aos erros que foram as escolhas dos dois treinadores junta-se a gestão (?) incompreensível e anárquica do plantel, de que as soluções encontradas para o centro da defesa, cada uma pior que as anteriores, são trágico exemplo.

Espera-se que a lição possa ser aprendida, embora, antes, se torne necessário saber como irá o Belenenses, com a inevitável redução das receitas na próxima temporada, conseguir evitar a desertificação do seu estádio e vencer a dura concorrência que o espera na Liga de Honra.

Terão os atuais dirigentes do Restelo, além da sua indiscutível probidade, igualmente a capacidade de dar a volta ao problema? Com toda a admiração que por eles tenho, creio bem que não.

Partilhar

Os comentários estão fechados.