Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

O dia em que Cristiano Ronaldo perdeu um fã

—–Mensagem original—–


De: Robert Filipe [mailto:…….@gmail.com]
Enviada: quinta-feira, 31 de Maio de 2012 21:15
Para: Record
Assunto: Quando um ídolo destroi um sonho

Bom dia,

Gostaria de poder olhar o Cristiano Ronaldo olhos nos
olhos e 
dizer-lhe “Perdeu um fã, por muito insignificante
que seja”.

Passo a explicar, hoje em Óbidos a minha filha de 10 anos
tinha treino 
de futebol, situação que não veio a acontecer em virtude
da seleção 
nacional se encontrar nas mesmas instalações. Como é
óbvio, apesar de 
não ter treino e sabendo que eu apenas a ia buscar às
20:00, ela logo 
aproveitou para admirar ao perto aqueles que a fazem
sonhar com 
grandes jogos onde é ela a protagonista.

Quando lá cheguei encontrei, não a criança alegre e
divertida que 
esperava mas sim uma criança abatida e tristonha. Quando
lhe perguntei 
o que se passava ela simplesmente encolheu os ombros e
disse “O C
ristiano não me quis dar um autógrafo por ter a camisola
do 
Barcelona”.

Fiquei sem saber o que dizer. A camisola que ela colocara
para ir 
treinar, e que a mãe lhe comprara de presente aquando de
visita a 
Barcelona, símbolo de um amor de mãe e nada mais (tivera
visitado 
Madrid e a camisola seria obviamente outra), acabara por
lhe trazer um 
desgosto.

A minha dor é ver a desilusão nos olhos da minha filha e
tentar 
explicar a uma criança de 10 anos porque razão um membro
da seleção 
nacional, que ela passou as últimas duas semanas a
apoiar, 
presenciando avidamente todos os treinos, lhe virou as
costas.

Expliquem-me porque eu não sou capaz!

Vocês que convivem diariamente com este mundo
provavelmente conhecerão 
milhares de histórias semelhantes, talvez vocês possam
compreender, 
justificar e até desculpar este tipo de comportamentos,
mas o mesmo 
não se passa com ela.

A mim soube-me bem este desabafo, obrigado por ouvirem.

Robert Filipe