Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

O Carolina do Aires de sempre não voltará

O escriba com os irmãos Silva, António e José Filipe, em 2012. E viva o Belenenses!

O último Pesadelo na Cozinha, da TVI, deu-me o desgosto de ver a pesada transformação por que passou aquele que foi um dos meus restaurantes preferidos: o Carolina do Aires, da Costa da Caparica.

Não conheci as primeiras instalações, que datavam de 1955 – tinham o restaurante em cima e quartos para alugar no rés-do-chão… – e que o mar destruiu em 1964. Mas fui inúmeras vezes ao espaço que as substituiu, uma bonita casa de madeira junto à Av. Humberto Delgado, sacrificada pelo programa Costapolis, que instalou, em 2008, o Carolina no local onde hoje se encontra.

Recordo, assim, a excelência da cozinha e o trato da gerência, a cargo dos irmãos António e José Filipe Silva, belenenses como eu numa terra onde, em tempos idos, viviam muitos adeptos do clube da Cruz de Cristo. Os manos, hoje com 78 e 68 anos, foram os herdeiros da tia Carolina e do marido, o banheiro Aires, que fundaram e deram nome a um restaurante cuja filosofia se perdeu quando, em 2014, a idade e a desilusão fizeram com que os históricos proprietários passassem o negócio.

Nós, os mais velhos, viemos todos de um Portugal que já não existe e de um Mundo que se transformou – e temos de viver com isso. Mas mesmo a um anti-saudosista como eu custa saber que o Carolina de sempre não voltará.

Um abraço, António e José. E viva o nosso Belém!

Parece que foi ontem, Sábado, 14JUN17