Nota 100 para Rui Dias

 

O lançamento de “Os 100 magníficos – os melhores de sempre do futebol português”, que decorreu há dias no Espaço 10, de Rui Costa, proporcionou uma reunião de notáveis do desporto-rei ao nível da magnífica obra que o meu camarada Rui Dias assinou.
E só não considero que o evento e o próprio livro constituam o zénite da carreira de um dos grandes jornalistas portugueses porque o Rui está, e estará por muitos anos, em plena idade de ouro, pelo que dele receberão ainda os leitores muitos e muitos textos de enorme qualidade.
Mas sabe bem verificar como a “tribo do futebol”  reconhece o mérito do trabalho de um dos seus, de um dos melhores, de um daqueles que consegue juntar a um talento inegável, e a uma rara capacidade de fazer amigos, a virtude da probidade, as mãos limpas que, honrando-o, honram este jornal de que sempre será referência. Um abraço, e parabéns, meu querido.


O lançamento de “Os 100 magníficos – os melhores de sempre do futebol português”, que decorreu há dias no Espaço 10, de Rui Costa, proporcionou uma reunião de notáveis do desporto-rei ao nível da magnífica obra que o meu camarada Rui Dias assinou.

E só não considero que o evento e o próprio livro constituam o zénite da carreira de um dos grandes jornalistas portugueses porque o Rui está, e estará por muitos anos, em plena idade de ouro, pelo que dele receberão ainda os leitores muitos e muitos textos de enorme qualidade.

Mas sabe bem verificar como a “tribo do futebol”  reconhece o mérito do trabalho de um dos seus, de um dos melhores, de um daqueles que consegue juntar a um talento inegável, e a uma rara capacidade de fazer amigos, a virtude da probidade, as mãos limpas que, honrando-o, honram este jornal de que sempre será referência.

Um abraço, e parabéns, meu querido.

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 14 dezembro 2012

 

Partilhar

Os comentários estão fechados.