Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Menos dois fantasmas

Ontem, irritei-me com a Argentina, que joga tanto, joga tanto e andou para ali a engonhar, enredada no futebol de engano dos gregos, que puseram o Samaras sozinho na frente ao disfarce e foram deixando passar o tempo, estacionados à entrada da sua grande-área, com o selecionador a tirar médios, na segunda parte, e a meter (mais) defesas.

Finalmente, lá chegaram os golos dos argentinos e pude respirar, já que o empate dava algumas hipóteses aos gregos de passar aos oitavos e de fazer depois aquilo que sabem: jogar para o 0-0, ganhar nos penáltis e seguir em frente.

Uff!, ver eliminadas, no mesmo dia, a França e a Grécia, é o melhor que me podia ter acontecido. Esses fantasmas não nos atormentarão desta vez. Só existe um pequenino problema: há outros.

Passe global, publicado na edição impressa de Record de 23 junho 2010