Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Leite de espinhos

No meio do doce bananal do PSD, um cato pica o Governo. Por vezes, não se distingue, na ira, da oposição raivosa de direita ou da reprimida de esquerda. Mas na maior parte dos casos e em particular no que respeita à covid, o deputado Ricardo Baptista Leite baseia as críticas no conhecimento clínico, na capacidade de comunicação e numa lógica demolidora. Não range os dentes, nem olha com desdém: explica porque defende o que defende. Foi o que fez, na quinta-feira, nos Passos Perdidos, ao sublinhar o erro do Executivo de não fechar as escolas de ensino médio e superior.

Também não alinho nas acusações que fazem de António Costa o bombo da festa, culpado da crise económica por ter confinado de mais e culpado da hecatombe sanitária por não ter confinado o suficiente. Mas mandar-nos para casa e manter em trânsito mais dois milhões de pessoas do que se devia, para que os alunos não percam duas semanas de aulas presenciais, parece, de facto, uma insensatez. Quantas mortes desnecessárias resultarão destes 15 dias?

Se o objetivo é travar a fundo o trágico número de vítimas e abanar a “anestesia” – Costa ‘dixit’ –que nos tornou insensíveis à desgraça coletiva, persegui-lo a todo o custo devia ser o trabalho. Assim, tem tudo para correr mal.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 16jan21