Jorge Jesus vai ter de voltar ao princípio

O Barcelona gastou 145 milhões de euros em cinco novos jogadores e o Real Madrid 110 milhões só em James e Kroos. É o campeonato dos clubes milionários, esse em que participam os dois gigantes espanhois e no qual não entra, por exemplo, o Valência, que pagou 16 milhões de euros por um guarda-redes cujo currículo se fica por meia época de qualidade no Benfica.

Por cá, a capacidade de investimento – ou de esbanjamento – é outra e os “grandes” fizeram compras de 50 e tal milhões de euros, até agora, com o FC Porto a “largar” 30 milhões, mais do que os rivais juntos. A necessidade aguça o engenho e Pinto da Costa e Antero Henrique desistiram da ilusão de poupar e ganhar, e aceitaram a realidade: apenas com Josués e Ghilas, Abdoulayes e Licás não se podem conquistar títulos e muito menos ter aspirações europeias. Era tempo de subir a parada.

Veremos, no trio português, que “reforços” virão ainda e que “pérolas” arranjarão compradores, para então se fazer o balanço e sabermos quem gastou mais do que recebeu, ou seja, quem continuou a endividar-se em nome do sonho de ser campeão, deixando novas dívidas aos vindouros se a estratégia falhar.

No meio de toda a engenharia financeira, as dúvidas florescem. Desde logo, sobre a capacidade de Lopetegui, um homem com provas dadas em seleções, de gerir com êxito a indiscutível qualidade dos futebolistas que estavam no Dragão e dos que chegaram: tem um grande plantel, terá talento para construir uma equipa? A seguir, coloca-se a questão sobre a sorte que espera Marco Silva no Sporting. Jogadores parecem não faltar, o equilíbrio acentuou-se e a época anterior dos leões e da sua estrutura, por um lado, e o trabalho do treinador no Estoril, por outro, prometem muito, mas… pegará de estaca essa competência?

Pior do que todos estará Jorge Jesus, no Benfica. Depois das duas últimas temporadas, em que montou o “puzzle” e geriu com mestria as peças, ele vê praticamente destroçada a sua equipa. Oblak, Garay, Siqueira, Markovic, Rodrigo e Gomes já se foram, Enzo e Gaitán podem sair, Cardozo torna a ficar, guarda-redes é o que se tem visto e quanto a reforços só Talisca mostrou argumentos. Jesus volta a ter de começar, de subir a corda a pulso. Tem uma vantagem: nunca fez outra coisa.

Canto direto, Record, 26JUL14

Partilhar

Os comentários estão fechados.