Guarda pretoriana nos túneis, já!

Tenho a certeza que a Comissão Disciplinar da Liga aplicou a lei quando decidiu os castigos de Hulk e Sapunaru. Mas discordo de Ricardo Costa quando afirma que houve celeridade no processo. Bem, só se alargarmos o critério à boa maneira portuguesa; podia ter demorado quatro meses e só demorou dois.

Também não me parece assim tão dificil a prova, já que o quarto árbitro, João Ferreira, viu tudo e não terá deixado de pôr no seu relatório apenas o que viu. As outras testemunhas anulam-se, já que olharam para o que se passou no túnel da Luz mas viram o que a sua simpatia clubística lhes permitiu, não o que aconteceu.

Por outro lado, se as imagens do túnel não puderam servir de prova, a verdade é que elas mostravam que se Sapunaru agrediu, e por isso apanhou 6 meses de suspensão, Hulk não terá agredido e por isso não levou os mesmos 6 meses, mas apenas 4. Mas 4 meses, o que dá para aí 12 jogos (!) de castigo, então porquê? Porque fez e aconteceu – e está de acordo com a lei, como explicou Ricardo Costa? Não duvido.

O que se lamenta é que os jogadores que insultam o árbitro e o empurram, que agridem adversários ou recorrem a jogo violento sistemático, e que dão ao país e aos seus jovens exemplos tão tristes, sejam punidos com 2 ou 3 joguinhos de suspensão, mas se responderem a provocações e empurrões na mesma moeda, já fora dos olhares do público, apanhem pela medida grande. 

A partir de agora, os clubes ficam livres para colocarem a sua guarda pretoriana nos túneis e gizarem estratégias que levem ao castigo dos adversários e à manutenção da sua impunidade. A lei permite-o, cumpra-se então a lei.

Partilhar

Os comentários estão fechados.