Grande atitude dos jogadores, grande jogo na Luz

Quando os artistas não forem o melhor do futebol, o jogo estará morto.

O Benfica voltou ontem a ser exemplo disso mesmo, com os seus homens a adotarem, de princípio ao fim , a mesma atitude positiva, jogando com velocidade e determinação, e chegando ao intervalo a perder injustamente por 1-0.

Mas como no futebol e na vida a justiça somos nós que a fazemos, os jogadores encarnados, seguros da sua melhor qualidade técnica, partiram no segundo tempo para cima dos alemães e só não terminaram o desafio com 3-1 no marcador porque a vontade não é tudo, há que ter igualmente alguma sorte. Grande jogo, sem dúvida.

Três pequenos apontamentos a fechar: a forma extraordinária de Fábio Coentrão – confirmada por uma jogada fantástica, em esforço, já aos 93 minutos (!), e que o quase sempre eficaz pé esquerdo de Cardozo não conseguiu finalizar com êxito –, a afirmação plena do talento de Jara e o “rabo ainda pesado” de Sidnei, de novo batido em velocidade, agora no lance do golo do Estugarda. Quando ultrapassar esse “gap”, vai valer tanto como David Luiz. Pelo menos.

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 18 fevereiro 2011

Nota – E já agora acrescento que Sporting e FC Porto assinaram também exibições em que a atitude foi meio caminho andado para os excelentes resultados que obtiveram. E até o Sp. Braga conseguiu manter intactas as suas aspirações ao apuramento na Liga Europa, já que a derrota pela diferença mínima é perfeitamente recuperável em casa, no jogo da segunda mão. Uma grande resposta de todos os jogadores ao pessimismo nacional!

Partilhar

Os comentários estão fechados.