Federação criticada por vender lugares de visibilidade deficiente

Deixo aqui esta interessante troca de e-mails à consideração dos meus leitores…

……………………………………………………………………………..

De: José Luis
Crespo [mailto:joseluis.crespo@cbis.pt]
Enviada: sexta-feira, 18 de Maio de 2012
21:34
Para:
alvaro.albino@fpf.pt; ‘paulo.lourenço@fpf.pt’
Cc: Record
Assunto: RE:
Final da taça de Portugal
Importância:
Alta

Exmo. Senhor Álvaro
Albino, 

Acabo de ler a sua
resposta aos e-mails dos meus Amigos, em baixo. Também eu vou assistir
??? ao jogo na Central numa fila baixa, na fila 7.

Não posso ficar
satisfeito com a resposta dada. Se a FPF já tinha conhecimento desta
problemática, como o seu e-mail bem demonstra, ainda é menos admissível a
situação.

A FPF teria que
eliminar
as ditas dificuldades, de forma a que todos os que pagam o seu
bilhete tenham assegurada a visibilidade de todo o campo e balizas. Não tem que
se limitar a tentar minimizá-las.

Sabendo das mesmas,
a FPF não deveria ter permitido que os lugares onde elas existem fossem postos à
venda, talvez cobrindo os mesmos com uma lona, como em muitos estádios se faz
nas competições europeias, embora por outros motivos, creio eu.

Tudo isto revela
falta de respeito pelo público pagante, pouca seriedade e pouco profissionalismo
por parte da FPF.

A FPF deu mais uma
achega para reforçar o número daqueles que há algum tempo proclamam que o
estádio não tem condições para a realização de uma final da Taça de Portugal,
com a dignidade que esta merece.

Fica demonstrado,
mais uma vez, que em Portugal para que as coisas corram bem, só com tutela
estrangeira, nesta caso da UEFA, como aconteceu no Euro.

É uma vergonha.
Tenho pena.

Cumprimentos,

José Luis Crespo

……………………………………………………………………………… 

Exmo. Sr.

Acusando
a recepção do seu e-mail que mereceu a nossa melhor atenção, venho por este meio
informar que, infelizmente, mesmo a
possibilidade contranatura dos elementos do banco, jogadores e técnicos, estarem
contra o sol durante todo o jogo, não temos qualquer hipótese de mudar a posição
dos bancos, devido aos condicionalismos do próprio estádio e à logística da
publicidade e da transmissão televisiva. 

No
entanto informamos que, para a Final deste ano, vão ser utilizados bancos novos
mais baixos de forma a tentar minimizar as dificuldades de visibilidade de quem
fica nas primeiras filas da bancada.

Esperamos
que compreenda que a FPF tudo fará, de acordo com os conhecidos condicionalismos
do próprio Estádio, para que os espectadores que se desloquem para assistir ao
jogo no estádio, tenham as melhores condições possíveis.

Cumprimentos

Alvaro
Albino

_________

Director
Departamento Competições

Federação
Portuguesa de Futebol

Rua Alexandre
Herculano, 58

1250-012
Lisboa

Portugal

 ……………………………………………………………………………………………

De: Antonio Belmar < antoniobelmar@agepor.pt>
Data: 18 de Maio de 2012 12:25:27
CEST
Para: Secretário Geral 2
FPF <
secretario.geral@fpf.pt>
Assunto: Final da taça de
Portugal

Exmo. Sr. Presidente da
FPF

Dr. Fernando
Gomes 

Tendo tomado conhecimento do email que um
amigo meu lhe enviou e que copio abaixo, quero reforçar o mesmo, dizendo que já
me aconteceu em duas edições anteriores ficar sentado nas filas da bancada
central mais baixas, e praticamente não conseguir ver metade do campo. Confesso
que fiquei revoltado pois paguei exactamente o mesmo que toda a gente que estava
na bancada central, com a diferença que não vi uma parte significativa do jogo
(não via uma das balizas) por causa do posicionamento dos bancos de
suplentes. 

Ocorreu-me na altura exactamente o mesmo
pensamento que o meu amigo. Porque não deslocar os bancos de suplente para o
outro lado do campo, onde para além de não incomodarem ninguém ainda têm a
vantagem de ficar posicionados mais perto dos balneários. Por vezes são estas
pequenas coisa que, admito não serem perceptíveis da tribuna, acendem rastilhos
e estragam os espectáculos. 

Neste sentido reitero o pedido e as
preocupações do Sr. Dr. José Leitão Henriques e espero ir ainda a tempo de
“ajudar” a contribuir para um melhor espectáculo para
todos.

Respeitosos
Cumprimentos

Antonio
Belmar da Costa 

– Associação.
Agentes de Navegação de Portugal/Portuguese Shipping Agents
Association
 

Director
Executivo / Executive Director

www.agepor.pt

Gare Maritima da
Rocha

Rocha do Conde de
Óbidos 1º

1350-352
Lisboa

Quote

Exª Sr.
Presidente da FPF

Dr.
Fernando Gomes

Sou sócio
do Sporting e nessa qualidade tive a sorte(??) de poder comprar uma Central para
ir assistir à final da “Taça de Portugal” do próximo Domingo. Como a final da
taça é uma festa do futebol, irei juntamente com a minha filha e alguns amigos
que por sua vez também levarão os filhos. Apenas conseguimos bilhetes para a
fila 4 da bancada Central.

No passado
Domingo fui ao estádio do Jamor ver a final da “Taça de Portugal” de futebol
feminino e para ter uma ideia da visão que terei do jogo, procurei  sentar-me na
dita fila onde me irei sentar no Domingo. Para grande surpresa, constatei que
daquela fila não irei (nem eu nem umascentenas de espectadores) ver grande parte
do campo caso os bancos dos suplentes se mantenham como estavam. Assim, para
impedir que haja pessoas que se exaltem e se tornem agressivas por terem pago um
bilhete e não verem o jogo, venho sugerir-lhe uma das soluções
seguintes:

– Que
passem os bancos de suplentes para o lado da entrada da maratona (oposto à
tribuna).

– Que
retirem os abrigos dos bancos de suplentes, os quais impedem a
visibilidade.

Pretendo,
com esta chamada de atenção, evitar qualquer incidente que possa estragar um
evento que deve ser de festa, em segurança. Como deve
compreender, será muito difícil aceitar  não se ver todo o relvado, após se
ter adquirido um bilhete, facto que poderá vir a gerar violência.

Estive
presente em muitas finais, nomeadamente na do “very light”, gostaria que não se
voltasse a repetir qualquer incidente.

Entendo que
não se tenha apercebido deste facto durante a final da “Taça de Portugal”
feminina, uma vez que assistiu ao jogo na
tribuna.

Com os meus
melhores cumprimentos.

José Leitão
Henriques

Unquote

Partilhar

Os comentários estão fechados.