Estragado com mimos (segunda e última versão)

O diretor do “Negócios”, Pedro Santos Guerreiro, estragava-me há dias com mimos na sua crónica semanal no Record, que teve a simpatia de me dedicar e que publiquei no post anterior deste blog, “Os golos do Pais”. Antes e depois, outros amigos espalharam também açúcar na minha vida. Aqui ficam, com o meu sentido obrigado a todos, alguns desses depoimentos que muito me tocaram.


“Não conheço propriamente bem o Alexandre Pais, nunca trabalhámos juntos, almoçámos e falámos algumas vezes, sempre no mesmo “idioma”, o que não é um detalhe. Conheço, no entanto, várias pessoas que fizeram uma parte da carreira ao lado dele. A minha intuição, a análise e atenção (sem falsa modéstia) que dedico ao jornalismo há muitos anos, e as garantias dos meus amigos chegam-me – o Alexandre é um dos melhores e lamento muito que tenha deixado a Direcção do Record.
É curioso porque há muito que me deixei de jornais desportivos, leitura diária bem entendido, mas nas diferentes publicações da Cofina – da Sábado ao CM (e no Record, claro) procurava sempre os seus textos. Poucas pessoas escrevem tão bem. Gosto da pena fina, do recorte muitas vezes irónico, da inteligência subtil, do tom assertivo quando tem que ser. Além disso admiro o pragmatismo com que geriu muitas publicações. Ele foi dos primeiros a perceber que o jornalismo (já) não é para românticos, sendo (sempre) para profissionais.
O Grupo Cofina deve-lhe muitos e bons serviços e – é uma dúvida que me assalta – talvez eles não tenham sido tidos em conta nesta mudança de ciclo. Se assim foi não é uma novidade.
Desejo ao Alexandre Pais o melhor. Ele é um homem de muitas vidas e até por isso acredito que a próxima também será boa. Talvez mesmo melhor.”
Nuno Santos, in Facebook

“Tens toda a razão Nuno. O Alexandre Pais é um notável profissional.”
José Alberto Machado, in Facebook

“Tenho lido muitos e bons textos nos últimos dias. Mas não resisto a destacar dois, ambos publicados hoje. Um na última página do Record, assinado pelo Pedro Santos Guerreiro. O outro “postado” aqui mesmo, na página do Alexandre, pelo Nuno Santos. Num caso e no outro, está lá tudo.”
Nuno Farinha, in Facebook

“SOUBE HÁ momentos que o meu amigo Alexandre Pais vai, ao fim de mais de 10 anos, deixar a direcção do jornal “Record”. Tive oportunidade de trabalhar lado a lado com o Alexandre na década de 90, altura em que coincidimos no “Tal&Qual” e onde a sua experiência, maturidade, bom-senso e qualidade de escrita foram um “baluarte” fundamental no dia a dia de um jornal que – perdoem-me este irreprimível ataque de nostalgia… – foi indiscutivelmente um marco na vida de todos quantos por lá passámos nessa altura. Deixem-me ainda dizer-lhes uma coisa: ao longo de mais de vinte anos que passei no jornalismo, Alexandre Pais foi uma das pessoas que eu recordo com mais simpatia das redacções por onde passei, enquanto homem, profissional e amigo. Para que conste!” 
José Paulo Fafe, in josepaulofafe.blogspot.pt

“Com o seu talento e experiência, Alexandre Pais dedicou os últimos 10 anos a modernizar o Record. Com ele, o jornal tornou-se mais vivo, mais dinâmico, mais jovem e afirmativo. Num mercado em que tudo se nivela tendencialmente por baixo, Alexandre Pais foi sempre um seguro de vida do jornal. Agora, no momento em que sai, resta-me desejar que seja substituído à altura – difícil, difícil… – enviar-lhe um forte abraço e, naturalmente, agradecer-lhe o único erro grave que cometeu na última década: ter-me convidado para assinar uma coluna de opinião no site do jornal. Fiquem com a sua última crónica.”
Fernando Esteves, in Facebook
 
“Mundo… confirma-se a saída de Alexandre Pais de diretor do Record. É um homem sério, correto, leal, justo e profissional… Cada vez são menos os diretores de jornais em Portugal que reúnem estas virtudes…”
 José Carlos Soares, in Facebook

 
“Sério, correto, leal, justo e profissional! Na mouche!!!”
Nuno Farinha, in Facebook
 
“Não sei porque é que o Alexandre vai deixar o Record, sei é que ele deixa sempre um pouco de si em quem trabalha com ele. Li com atenção os comentários e as mensagens que o Alexandre recebeu… Não são elogios, são verdades que subscrevo inteiramente. Porque nem sempre um grande jornalista é um bom director, muito menos um director da grandeza do Alexandre Pais, que me deu a alegria de acreditar que uma croniqueta semanal poderia ter alguma importância e a honra que me aturar os disparates, os atrasos e os processos (foi só um mas foi bom), ao longo de 3 anos, isto tudo no século passado, num tempo distante mas suficientemente perto para ainda estar fresco na minha memória e para não me esquecer de lhe agradecer.”
Luís Rosa Mendes, in Facebook
 
“Quanto mais damos de nós ao que fazemos, mais nos custa encerrar o ciclo. Felicidades, meu caro amigo. E, da parte que me toca, obrigado pelo que me ensinou quando juntos – com tantos outros – colocámos o 24horas a vender o que hoje poucos vendem.”
Nuno Perestrelo, in Facebook
 
“Eu sou a mais suspeita para dizer o que quer que seja, mas os 14 anos que vivemos nos vários jornais por onde passámos (com muitos destes amigos que andam aqui pelo FB) foram tão intensos que parecem 30. E para mim – mesmo quando te irritavas comigo, mais do que com qualquer outro jornalista, por causa de um ou outro detalhe – sempre foste o melhor.”
Sónia Bento, in Facebook
 
“Já que estamos em momentos de agradecimento, vou deixar aqui o meu. Muito obrigada Alexandre Pais pois a si devo a minha carreira profissional! Foi o Alexandre que me ensinou de raiz tudo o que me proporcionou o meu percurso profissional. Foi também o Alexandre que “reparou” que eu poderia ser uma comercial! Foi através de si que eu “nasci” profissionalmente! Quero também agradecer todos os “sermões” , “reprimendas” e alguns gritos 🙂  (tudo merecido!), pois sem eles não teria evoluído nem aprendido o que aprendi! Obrigada também pela paciência que sempre teve para comigo, obrigada por me ter proporcionado conhecer tantas pessoas de craveira da nossa praça e, finalmente, muito obrigada pela sua amizade e apoio em tantos momentos da vida!”
Beatriz Maria Pinto, in Facebook

“Amigo vou ter saudades dos seus textos. Grande futuro é o que lhe desejo!!!”
José Manuel Freitas, in Twitter

 
“Um dia entrei num gabinete e estava um inimputável a fazer queixinhas sobre ti. Eu, que não te conhecia, fiquei na expectativa de ver a reacção de quem as ouvia (pessoa cuja opinião muito respeito)…afinal, ia trabalhar “mais ou menos” contigo num novo projecto. O nosso amigo comum, José Rocha Vieira, disse ao energúmeno que insistia nas queixas, que dissesse o que ele dissesse, tu eras um profissional de “mão-cheia” e que tinha inteira confiança no teu trabalho… acrescentando… “o gajo é muito bom”. Desde esse dia, confesso que comecei a olhar para o teu trabalho (quem sou eu!) com outros olhos. Hoje (há uns dias), divido-me no que sinto… um excelente profissional que sempre admirei deixa a direcção do Record, com tudo o que isso implica… outro profissional e amigo que também muito admiro inicia essas funções. São ciclos. Parabéns pelo que fechaste e desejo-te os maiores sucessos no que inicias. Sentido abraço.”
Jornalista identificado em mensagem particular, in Facebook

Partilhar

Os comentários estão fechados.