Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Entradas de leão dão confiança

A pré-época só conta como preparação para as equipas, sendo secundários os resultados. Quando for “a doer”, sim, contabilizam-se os sucessos e os insucessos. Certo? Enfim, não faltarão defensores dessa lógica, em especial os responsáveis por aquelas equipas que se apresentam, nesta fase, com um saldo modesto.

A realidade é que, no próximo domingo, Benfica e Sporting irão disputar o primeiro título da temporada, a Supertaça, com níveis de confiança – oh, e se ela existe no futebol! – bem diferentes.

Os encarnados, ou levaram de vencida esta madrugada os mexicanos do Monterrey, ou surgirão no Algarve sem qualquer triunfo em cinco jogos, uma situação que deixa preocupados os adeptos – já desconfiados face às incertezas provocadas pela mudança de treinador, pelas saídas de Maxi e de Lima, pelos amuos de Gaitán e por muitos etc. Mas o pior, claro, é se os jogadores regressam de uma digressão desgastante igualmente diminuídos na sua capacidade anímica.

Entretanto, tudo parece correr bem ao Sporting, que venceu cinco das seis partidas que disputou, tendo naquela em que empatou obtido vantagem nas grandes penalidades – mais um fantasma da casa que Jesus começou a exorcizar. E no sábado, perante o vice-campeão italiano, o resultado foi bom, talvez melhor do que o esperado, e o rendimento global da equipa correspondeu às expetativas – a solidez da defesa, por exemplo, foi já bastante apreciável.

Estas entradas de leão servem para alguma coisa? De facto, não, até porque sabemos que sempre haverá saídas de sendeiro. Num dérbi, não existe favorito e qualquer dos rivais pode levar a Supertaça. Mas que vemos entusiasmo de um lado e narizes torcidos do outro, lá isso é verdade.

Canto direto, Record, 3AGO15