Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Em memória de um trio de ouro do jornalismo português

O meu camarada de redação Rui Dias encontrou nos Arquivos de Record esta foto, dos idos de 1966, particularmente feliz por ter reunido três dos cinco maiores jornalistas “desportivos” de sempre: Alves dos Santos, Vítor Santos e Artur Agostinho (Ricardo Ornelas e José Neves de Sousa completariam o quinteto de ouro).

Nesta altura, eu já trabalhava na comunicação social, embora ainda não fosse jornalista. Mas tive o privilégio de, ao longo das minhas várias vidas profissionais, ter conhecido estes “monstros sagrados” do jornalismo português. E sempre com a consciência, que nunca perdi, da pequenez do pigmeu face aos gigantes. Aqui os relembro hoje, com admiração e saudade.

1966 – O trio de ouro (ao meio)

xxxxxxxxx

(Foto apagada por hackers)

 

1971 – Eu com Alves dos Santos (e Faria Morais, à esq.) e muito cabelo

1984 – Eu com Vítor Santos e ainda algum cabelo

2005 – Eu com Artur Agostinho e já careca