Eletricista explica apagão: “Abri a torneira e a luz apagou-se”

Record – Por que é que lhe chamam Chico da Circular?
Chico da Circular – Porque não conseguiam decorar o meu nome, que é um bocadinho complicado…
R – E é qual?
CC – José da Silva.
R – Mas Chico não é de Francisco?
CC – É, mas eu de Francisco não gosto, há muitos. Depois fazia-se confusão.
R – E Circular vem de quê?
CC – Ah, isso foi o sôr Luís! Sempre que lhe ponho um problema, ele dá-me a mesma resposta: a circular, a circular!
R – Quer-nos explicar então essa história do apagão?
CC – Olhe, fizeram aí um arraial do caraças por nada. Foi só um problema da gente se adaptar à realidade.
R – Qual realidade?
CC – Cheguei aqui um dia e vi que a engenharia estava toda trocada.
R – Qual engenharia?
CC – A engenharia da coisa, desta coisa de ter o contador do gás na cave, o quadro da luz na garagem, as torneiras da água debaixo da bancada, a central telefónica no gabinete do doutor Gomes… E depois o Chico que ande para aqui de um lado para o outro!
R – E como resolveu o problema?
CC – Reestruturei a coisa e juntei todos os comandos numa arrecadação.
R – Sim, mas para a luz se ter apagado, teve de ser desligada…
CC – Não senhor, eu abri foi o gás para aquela linda juventude do Porto poder tomar um banhinho quente, e não sei porque raio…
R – Se apagou a luz?!…
CC – Não, abriu-se mas foi a água da rega, Deve ter sido uma troca nos canos.
R – Bem, mas então a luz apagou-se quando?
CC – Isso foi quando peguei no telefone para chamar o canalizador. Mal levanto o auscultador, pimba, vai-se-me a luz toda abaixo. Deve ter sido uma troca nos fios.
R – Está em condições de garantir que ninguém o mandou desligar a luz?
CC – Juro! Juro pele saudinha do sôr Pinto da Costa, veja lá.
R – Não tem medo de ser castigado?
CC – Não, eu sei que isto é uma família.
R – E nem sequer levou um ralhete?
CC – Nada de nada. O sôr Luís até hoje só falou comigo dois segundos.
R – E disse-lhe o quê?
CC – Parabéns, Chico! Nem mais uma palavra, juro pela sua saudinha, veja lá.

Entrevista faz-de-conta, publicada na edição impressa de Record de 9 abril 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.