Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Eis a bella Itália e o príncipe Balotelli…

 

A imagem de Mario Balotelli, imóvel, de tronco nu, à espera do abraço dos companheiros após fazer o segundo dos dois golos que meteriam os italianos na final, ficará como uma das grandes imagens deste Europeu.

Derrotada pela Rússia (3-0), por altura no desaire português frente à Turquia, a squadra azzurra entrou no Euro ao seu jeito manso, empatou com a Espanha, afastou a Inglaterra e chegou às meias vendo o favoritismo entregue aos “imbatíveis” alemães. 

Ontem, fez uma vez mais o trivial: defesa de aço cá atrás e Cassano com SuperMario a dobrarem os rins aos germânicos lá à frente.

E quis então o destino que o príncipe Balotelli estivesse em noite de génio, de pancada total, e que a bella Itália chegasse de novo a uma final. A Espanha é favorita, claro, mas vai ser uma chatice.

Europasse, publicado na edição impressa de Record de 29 junho 2012

 

A imagem de Mario Balotelli, imóvel, de tronco nu, à espera do abraço dos companheiros após fazer o segundo dos dois golos que meteriam os italianos na final, ficará como uma das grandes imagens deste Europeu.
Derrotada pela Rússia (3-0), por altura no desaire português frente à Turquia, a squadra azzurra entrou no Euro ao seu jeito manso, empatou com a Espanha, afastou a Inglaterra e chegou às meias vendo o favoritismo entregue aos “imbatíveis” alemães. 
Ontem, fez uma vez mais o trivial: defesa de aço cá atrás e Cassano com SuperMario a dobrarem os rins aos germânicos lá à frente. E quis então o destino que Balotelli estivesse em noite de génio e que a bella Itália chegasse de novo a uma final. A Espanha é favorita, claro, mas vai ser uma chatice.