E o golpe de asa?

A seguir à novela “Nazaré” e a “Golpe de sorte”, a meia hora do “Casados à primeira vista – extra” fecha um triângulo de ouro com um “share” superior ao da estação. Só o “Programa da Cristina”, o “Primeiro jornal” e o “Jornal da noite” conseguem também contribuir positivamente para os 20,5% da média do dia da SIC – como o da última quarta-feira, por exemplo.

Faltaram a esse contributo os 15 minutos do diário do “Casados II”, colado ao “Prémio de sonho especial” numa frente comum que “O preço certo”, da RTP, arrasou, com um “share” de 21,7% – cinco pontos e meio acima.

No fundo do ante “prime time” fica o modesto “Ver para crer”, da TVI, que com 11,3% não atingiu sequer os 12,6% do dia do canal, já terceiro, atrás da RTP1, numa tendência crescente que só poderá ser invertida com uma primeira recuperação, a da credibilidade. É que a TVI deixou de perseguir o objetivo principal de quem pensa televisão – surpreender o espectador. Ainda na quinta-feira, mal Dolores Aveiro se despediu da Cristina, mudei para a TVI para ver a Maria e o Manel. Trocavam banalidades… Acho-os brilhantes, sim, mas e a agenda? E o golpe de asa? Entregue a si próprio, na escuridão da estrada, ninguém descobre o caminho.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 19out19

Partilhar

Os comentários estão fechados.