Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Dois marcos da cultura ao abandono, duas vergonhas para Lisboa

 

Na foto da esquerda (ou em cima, depende do formato do ecrã), vemos o estado lamentável em que se encontra o antigo cinema Paris, junto ao Largo da Estrela, em Lisboa. Ali passei várias tardes em que devia estar nas aulas, no vizinho Liceu Pedro Nunes, a matar o meu precoce vício pelo cinema, nos tempos em que, por 2 escudos e 50 (1,25 cêntimos!), se viam dois filmes.

Pois a velha sala está há muitos (demasiados) anos no nojo que a foto documenta, sem que ninguém se incomode com isso…,

Na outra imagem, vê-se o estado atual do antigo Teatro Vasco Santana, a Entrecampos, também na capital, que começou a ser demolido quando a Feira Popular desapareceu, mas que alma caridosa deixou ficar a meio para que rataria e marginalidade possam “confraternizar” em plena Lisboa. E com o caso da trapalhada dos terrenos ainda em tribunal, teme-se que o desleixo e a imundície continuem a reinar… nos próximos anos.

Duas vergonhas para uma capital europeia – sem que António Costa (julgo eu) possa acabar com elas… É Portugal no seu pior.