D. Carlos Mozer: quem sabe, sabe

A desgraça belenense passa muito pela gestão catastrófica das últimas décadas mas também por grande desacerto na escolha dos treinadores, com “descobertas” que não lembrariam ao próprio Diabo.

Mas não são só os azuis do Restelo que manifestam essa atração pelo abismo, ela é comum à generalidade dos clubes e exemplos não faltam.

E por vezes não é preciso nem gastar rios de dinheiro, nem ir à feira em busca de um achado – basta olhar à nossa volta.

Foi o que em boa hora fez Aprígio Santos, presidente da Naval, que ao contratar Carlos Mozer pode muito bem ainda ir a tempo de evitar a despromoção.

Dezoito pontos em 12 jogos – quando em 14 jornadas os navalistas só haviam conseguido 5 pontos… – dizem tudo sobre a capacidade de Mozer. O futebol é afinal como a vida: quem sabe, sabe, quem não sabe inventa e só faz asneira.

Passe curto, publicado na edção impressa de Record de 12 abril 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.