Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Cristiano Ronaldo é o grande carregador

 

Pinto da Costa não perdoa agravo antigo a Cristiano Ronaldo e elegeu João Moutinho como a grande figura da Seleção. E não mente, já que o médio portista, que nunca joga mal, nunca se lesiona, nunca deixa de correr e de lutar, merece todos os elogios. 
Mas há outros. Que dizer, por exemplo, do total domínio da área de Pepe e Bruno Alves, da velocidade e combatividade de Pereira e Coentrão, da segurança de Patrício, da pendularidade de Veloso, do virtuosismo de Nani, da incrível resistência de Meireles? E, não o esqueçamos, do notável trabalho de Paulo Bento na construção de uma equipa solidária, concentrada, consistente? Não merecerão também todos os elogios? Sem dúvida. 
Acima de tudo, que valha a verdade. E ela manda que se diga que é Cristiano Ronaldo o grande carregador, a estrela que leva a Seleção às costas. Não fora ele e tudo seria diferente, para pior, por enorme que seja o talento de muitos.


Pinto da Costa não perdoa agravo antigo a Cristiano Ronaldo e elegeu João Moutinho como a grande figura da Seleção. E não mente, já que o médio portista, que nunca joga mal, nunca se lesiona, nunca deixa de correr e de lutar, merece todos os elogios. 

Mas há outros. Que dizer, por exemplo, do total domínio da área de Pepe e Bruno Alves, da velocidade e combatividade de Pereira e Coentrão, da segurança de Patrício, da pendularidade de Veloso, do virtuosismo de Nani, da incrível resistência de Meireles? E, não o esqueçamos, do notável trabalho de Paulo Bento na construção de uma equipa solidária, concentrada, consistente? Não merecerão também todos os elogios? Sem dúvida. 

Acima de tudo, que valha a verdade. E ela manda que se diga que é Cristiano Ronaldo o grande carregador, a estrela que leva a Seleção às costas. Não fora ele e tudo seria diferente, para pior, por enorme que seja o talento de muitos.

Euro passe, publicado na edição impressa de Record de 23 junho 2012