Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Comentários inadmissíveis nos blogues Record

From: Joao Goncalves [mailto:jpg.goncalves@gmail.com]
Sent: domingo, 24 de Abril de 2011 21:18
To: Record
Subject: Pouca vergonha nos blogs Record

Sr. Director,

Sei que os Blogs Record são uma secção autónoma do Record e que, provavelmente, são da responsabilidade dos seus autores, neste caso jornalistas do Record. No entanto estão disponíveis na vossa página da Internet e como tal é inevitável associa-los à vossa casa.

Já por várias vezes estranhei a falta de moderação aos comentários feitos pelos leitores. Hoje as coisas atingiram um nível inqualificável como se vê pelos comentários reproduzidos abaixo. Só pergunto o que é isto?
Como é possível um jornal como o vosso permitir estas situações? E vindas sempre do mesmo individuo…

Aqui ficam as pérolas de hoje. Não são as primeiras e, a continuar assim, não serão as últimas.

(seguem-se diversos exemplos que o autor deste blog não reproduz)

Realço aqui que sou leitor diário dos vossos blogs, Considero os jornalistas do Record excelentes, os assuntos são quase sempre bastante interessantes e a discussão é, na maioria das vezes feita com inteligência e respeito pelas outras pessoas. Excepto quando entra em acção o individuo acima referenciado.

Estamos na noite de 24 para 25 de Abril. A censura acabou há 37 anos mas não foi para isto que se instituiu a liberdade de imprensa e de opinião.

A solução não me cabe a mim aponta-la. É o Record que a terá de encontrar. mas alguma coisa terá de ser feita. Quem vos lê diariamente não merece aturar isto.

Cumprimentos

João Paulo Gonçalves

Nota da QdoC – Com o devido pedido de desculpas, agradeço ao leitor esta mais do que justificada chamada de atenção e tratarei de mandar remover os lamentáveis comentários que referiu.  A 25 de abril, simbolicamente.