Bruno de Carvalho gosta de carne tenra

Começou bem: o primeiro candidato a prometer apresentar-se às eleições do Sporting, após a derrota frente ao Sp. Braga, em Alvalade, acompanhou a noite da notícia com uma mensagem pseudo-intimidatória para Bruno de Carvalho – “Não sou pessoa de desistir”. No dia seguinte, logo pela manhãzinha, não fosse o tempo decorrido comprometê-lo em excesso, alguém por ele anunciou a desistência.

É com esta carne tenra que se estraga em poucas horas que o presidente leonino sabe estar a lidar, gente respeitável mas de mais parra do que uva. Daí a aparente simpatia com que acolheu a candidatura seguinte, de Pedro Madeira Rodrigues, e garantiu, com solos de violino em fundo, que todas as facilidades o clube disponibilizaria a esse e a futuros candidatos.

Inteligência é qualidade que sobra a Bruno de Carvalho. Ele sabe que quantos mais pintos saírem do ovo, melhor o galo conhecerá e dominará a capoeira. Mas que não haja ilusões. Para empresários de sucesso, como Godinho Lopes, barões com reumático ou jovens turcos com sangue na guelra, como parece ser o caso de Madeira Rodrigues, chega ele e dá avanço.

Quem quiser ser presidente do Sporting e apear o que lá está, deverá, logo à partida, mostrar credenciais de credibilidade, experiência, mediatismo, gestão, resultados e garantias de que não volta a haver fornecedores à porta. Tudo temperado com alguma criatividade, poder de comunicação, voz grossa e uma capacidade infinita de fazer promessas.

E mesmo assim, ou o Sporting se afunda no campeonato ou o mais certo é espalhar-se.

 

Partilhar

Os comentários estão fechados.